Entre os itens mais procurados, segundo os consumidores, estão brinquedos (59,8%) e roupas (27,2%) - Alisson J. Silva PB Kids Brinquedos - 28/09/07

A intenção de consumo dos belo-horizontinos para o Dia das Crianças está melhor neste ano. Segundo pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio-MG), 42,7% dos consumidores da Capital planejam presentear no dia 12 de outubro, enquanto que em 2017 esse índice era de 38,6%.

Apesar de uma atual recuperação lenta da economia e da sensação de estagnação econômica, conjunturalmente o ambiente econômico é melhor do que o do ano passado, de acordo com o economista da Federação, Guilherme Almeida. Ele ressalta que o resultado é reflexo do crescimento da confiança das famílias, principalmente porque a inflação tem se mantido em níveis aceitáveis durante o ano, o que leva a um ganho real no rendimento e contribui para o consumo familiar.

“O aumento do crédito concedido às famílias e a inflação, que vem se mantendo de uma forma comportada, são indicadores de que as famílias estão consumindo. Além disso, o apelo emotivo das datas comemorativas, conjugado com a melhor conjuntura econômica, tende a levar os consumidores a uma intenção maior de comprar”, explicou.

Embora a intenção de consumo seja maior neste ano, a cautela do consumidor pode ser comprovada na escolha da forma de pagamento. Para evitar dívidas, 65,4% dos entrevistados pretendem pagar à vista, em dinheiro.

“Além de obter descontos nas compras, o consumidor não compromete a renda num futuro tão incerto como o que esperamos. A insegurança gerada pelo fator político e o desemprego elevado acabam levando o consumidor a um receio para um futuro próximo”, afirmou Almeida.

O tíquete médio não ultrapassará os R$ 100 para a maioria (55,8%) dos entrevistados. Já 44,2% dos consumidores vão presentear com itens de valor superior a essa faixa, percentual também acima dos que optaram por um presente na casa dos três dígitos em 2017 (30%). Entre os itens mais procurados, segundo os consumidores, estão brinquedos (59,8%), roupas (27,2%) e chocolates/doces (8,3%).

Empresários – O levantamento sobre as expectativas do comércio varejista para o Dia das Crianças realizado pela Fecomércio-MG apontou que 59% dos empresários apostam em vendas melhores do que as registradas em 2017 enquanto, no ano passado, 56% esperavam aumento nas vendas frente a 2016.

“Essa melhora também está embasada no momento econômico melhor em relação ao ano anterior. As vendas no varejo vêm apresentando resultados positivos no primeiro semestre do ano e isso é incorporado à avaliação e também na expectativa dos empresários”, comentou Guilherme Almeida.

Entre as ações para melhorar as vendas no período, 37,4% das lojas pretendem realizar promoções e liquidações e 31,7% investirão em propaganda/campanha. A data tem um impacto em 36,6% das empresas do comércio varejista de Belo Horizonte e, segundo os empresários, pouco mais de 80% dos clientes devem ir às compras na semana da comemoração.