Empresa de São Sebastião do Oeste planeja investimentos da ordem de R$ 15 mi neste ano - Crédito: Divulgação

Amparada principalmente no reforço das exportações, a empresa de alimentos Avivar, com sede em São Sebastião do Oeste, no Centro-Oeste de Minas, projeta ampliar a produção e o faturamento em 20% em 2019, ano em que está completando 20 anos. Os investimentos a serem realizados no período aproximado de três anos chegam a R$ 36 milhões. Diretor de logística e suprimentos da Avivar, Eliênio Costa informa que, atualmente, as exportações correspondem a cerca de 12% das operações da empresa, sendo que a meta é que esse percentual dobre até o final do ano.

Do valor total dos investimentos, R$ 15 milhões serão aplicados ainda em 2019, sendo destinados à melhoria de processos internos para suportar o aumento da capacidade de produção. Outros R$ 21 milhões, a serem desembolsados no período de três anos, vão para a construção de estrutura para armazenagem, que irá diminuir os custos de aquisição de grãos.

Costa explica que o reforço nas exportações foi a estratégia encontrada pelos empreendedores para fazer frente à lenta recuperação da economia nacional. Com baixa ampliação do mercado consumidor interno, a solução foi buscar ampliar o comércio fora do País, principalmente China e México. Tais operações estão em fase final de aprovação e devem ter início em agosto. Atualmente, a Avivar exporta principalmente para a África do Sul – com 80% das operações -, mas mantém comércio também com Ásia e América Central.

Ainda de acordo com Costa, duas crises que afetaram a China recentemente acabaram beneficiando os negócios da empresa alimentícia. Uma delas foi a crise sanitária causada pela gripe suína africana que atingiu aquele país, levando os produtores a abaterem cerca de 1 milhão de porcos. Com isso, houve aumento da demanda pela carne de frango do Brasil. Além disso, a crise entre Estados Unidos e China levou o país asiático a buscar novos parceiros.

Hoje, na Avivar, são abatidas 180 mil aves por dia. A produção diária de aves e produtos industrializados chega a 550 toneladas. A empresa conta com toda a cadeia verticalizada da avicultura: matrizes; produção de ovos galados; incubadora e estrutura de fábrica de rações. Além disso, há o reforço de 180 produtores rurais que fornecem frangos para a unidade. Na parte industrializada, a empresa produz salsichas, linguiças, frango desfiado. Junto a parceiros, são produzidas lasanha, pizzas e batata congelada.

A expansão planejada para 2019 não irá incrementar o quadro de funcionários da empresa. A Avivar conta com 3 mil empregados diretos.

Diversificação – O incremento nas exportações não exclui a atenção da Avivar com o mercado interno. Este ano, tiveram início as operações da Rara, nova empresa voltada principalmente para produtos populares. Além disso, há diversificação de produtos. Entre as novidades estão partes temperadas com sabores barbecue; chimichurri e hot, linha desenvolvida principalmente para churrascos.

No mercado interno, Minas é o principal mercado da Avivar e consome cerca de 60% da produção. A empresa atende principalmente estados do Sudeste, mas também tem operações no Nordeste.

História – A Avivar completa 20 anos em 2019. Mas sua história é ainda mais antiga e tem início na década de 70, quando José Magela Costa – pai de Eliênio Costa – deu início à produção de aves. Anos depois, em 1999, buscando agregar valor ao produto, José Magela fundou um frigorífico com os sócios Antônio Carlos e Framir Araújo, respectivamente seu irmão e sobrinho. No primeiro dia de operação, foram abatidas 150 aves na unidade.

“Mesmo com estrutura familiar, buscamos capacitação e treinamento constantes, para manter o crescimento de dois dígitos ao ano”, disse Eliênio Costa.