A BCR Bartofil oferece, em quase todo o Brasil, cerca de 10 mil itens diversificados Crédito: Divulgação

Um minucioso e persistente trabalho de logística, que pode ser comparado à tarefa de formigas, levou a empresa BCR Bartofil Distribuidora, com sede em Ponte Nova, na Zona da Mata, a ganhar reconhecimento nacional. O grupo recebeu o prêmio de Melhor Empresa Atacadista do Brasil pela Revista Valor 1000, concedido na última segunda-feira (20). O diretor comercial da empresa, Rafael Bartolomeu, informou que o faturamento bruto da BCR Bartofil em 2017 foi de R$ 935 milhões, com alta de 10% em relação ao exercício anterior. Ele ressalta que a empresa alcançou tal resultado em um período em que o setor, no País, avançou 3,7% e o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 1%.

Rafael Bartolomeu atribui o resultado a muitos anos de trabalho e investimentos e explica que a empresa vem atuando para se sobressair em um setor de alta concorrência. Ampliação em centros de distribuição (CDs), investimento em pessoal e treinamento, além de aposta nas novas tecnologias são medidas que ajudaram a alavancar a capacidade de venda e os resultados. “Estamos sempre revisando processos com a preocupação constante de prestar o melhor atendimento ao cliente”, diz. Ele ressalta que a empresa busca sempre reinvestir os resultados.

Mesmo em um cenário de recuperação lenta da economia, a empresa investiu, no ano passado, R$ 60 milhões na criação de um centro de distribuição (CD) em Feira de Santana, na Bahia. O local, com 23 mil metros quadrados de área de armazenagem, entrou em funcionamento neste mês.

Até então, a distribuidora contava com o CD de Ponte Nova. O centro foi construído em 2004, com 15 mil metros quadrados. Em 2010, passou por sua primeira expansão, chegando a 23 mil metros quadrados. Não foi suficiente: entre 2014 e 2015, uma nova obra ampliou o espaço para 41 mil metros quadrados de área de armazenagem.
Além dessas estruturas, a empresa conta com filiais logísticas de apoio. Em alguns casos, quando o volume de encomendas é grande, as cargas são redistribuídas nesses pontos para caminhões menores.

Atendimento amplo – No planejamento para entregar mercadorias, a BCR Bartofil acaba fazendo um verdadeiro trabalho social, pois leva produtos diversos em áreas remotas do interior do País. Para tal, conta com 1,4 mil funcionários com carteira assinada, além de 1,2 mil vendedores autônomos e 350 transportadores autônomos.
Essa rede consegue atender a cerca de 100 mil varejistas espalhados em quase todo o Brasil: estão situados em 4.500 cidades, em 22 Estados. A empresa atende principalmente os pequenos comerciantes do interior do País, mas também presta o serviço a médias e grandes empresas, inclusive nas capitais. A empresa só não atende os estados do Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina e Acre.

Na outra ponta, os CDs da BCR Bartofil são abastecidos por 500 fornecedores do Brasil e do exterior. No total, a empresa oferece cerca de 10 mil itens diversificados de segmentos como agroveterinário, automotivo, construção, esporte e lazer, utilidades domésticas, ferramentas e papelaria.

Os vendedores autônomos atuam na linha de frente, visitando os varejistas. E, mesmo estando em comunidades isoladas, carregam seus tablets e/ou smartphones. Com esses equipamentos, fazem as encomendas e encaminham via internet para a Bartofil.

A empresa está atenta às novas tecnologias. Problemas na cobertura on-line pode gerar atraso na hora de fazer encomenda. “Temos casos de vendedor que chega de barco a alguma localidade isolada e acaba ficando dias sem sinal de internet”, diz.
Outra característica importante que garante o sucesso do negócio é conseguir atender a pequenas encomendas. A agilidade na entrega tem atenção especial.

Empresa familiar – A BCR Bartofil tem raízes em Ponte Nova, onde foi criada há cerca de 70 anos. Rafael Bartolomeu conta que os negócios foram iniciados por seu avô Francisco e os dois filhos mais velhos dele, Antônio e Darci. Rafael – neto de Francisco – é da terceira geração. E ele diz que já tem um representante da quarta geração em atividade na empresa. Ele ressalta que o fato de a distribuidora ser familiar não diminui a preocupação com a governança corporativa.