Presidente afirma que objetivo é tornar o País um dos melhores para se fazer negócios - Créditos: Alan Santos/Presidência da República

São Paulo – A equipe econômica chefiada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, está estudando reduzir os impostos sobre as empresas, disse ontem o presidente Jair Bolsonaro durante visita a Israel, e citou que após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tomar medida semelhante, a economia daquele país ganhou grande impulso.

Bolsonaro disse a jornalistas que acompanham sua visita oficial que um dos objetivos de seu governo é desburocratizar a vida das empresas para fazer com que o Brasil suba no ranking de melhores países para se fazer negócios.

No fim de semana, o presidente já havia levantado a ideia de reduzir os impostos sobre as empresas em uma publicação no Twitter.

Também na semana passada, Guedes disse que o governo estuda tributar lucros e dividendos como forma de compensar a redução dos impostos sobre as empresas.

Antecipação – O presidente Jair Bolsonaro antecipou a volta de Israel em cerca de duas horas nesta quarta-feira e terá uma série de encontros com parlamentares, amanhã, com o objetivo de acelerar a tramitação da reforma da Previdência, afirmou o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros.

Inicialmente, Bolsonaro se encontraria com integrantes da comunidade brasileira em Israel nesta quarta de manhã na cidade de Ra’anana antes de embarcar de volta para Brasília, mas a agenda do presidente foi modificada, e agora Bolsonaro optou por receber brasileiros que moram em Israel em seu hotel na cidade de Jerusalém na noite de ontem.

Com a mudança, o desembarque previsto do presidente foi antecipado de 20h40 para 18h40, e nesta quinta-feira Bolsonaro terá uma agenda cheia com parlamentares e líderes políticos para tratar da Previdência, disse o porta-voz.

“O que estamos acordando, por questões logísticas, estamos trazendo cerca de 25 brasileiros que moram naquela comunidade (Ra’anana) aqui hoje (ontem) às 18h com a finalidade de o presidente estreitar os laços e, ao mesmo tempo, antecipar nosso retorno, visto que no dia seguinte (quinta) ele já tem agendada uma série de encontros com parlamentares visando ao nosso objetivo principal nesse momento, que é o andamento mais célere da nossa Nova Previdência”, disse o porta-voz a jornalistas em Jerusalém.

Em entrevista à TV Record na noite de segunda-feira (01) durante a visita a Israel, Bolsonaro já havia afirmado que vai intensificar os encontros com parlamentares e líderes políticos para fazer avançar a tramitação da reforma da Previdência no Congresso.

Segundo o presidente, se a reforma não for aprovada o Brasil estará “a um passo de um caos econômico”.

“O que apresentei ao Parlamento com a reforma da Previdência não é um projeto meu ou do meu governo, é do Brasil, e o Parlamento é muito importante para aperfeiçoar essa proposta. Não pode é ficar sem votar, porque dai o Brasil perde como um todo”, disse Bolsonaro na entrevista. (Reuters)