Crédito: divulgação

São Paulo – As exportações de café verde do Brasil em março cresceram 14,2% na comparação anual, para 2,64 milhões de sacas, e fecharam o primeiro trimestre em nível recorde para o período.

Do total embarcado em março, 2,47 milhões de sacas foram de café arábica (+10,4%) e 172,74 mil sacas de robusta (+125,7%), informou o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé) ontem.

Também foram embarcadas, no mês passado, 323,20 mil sacas de café solúvel, queda de 15,5%, e 1 mil sacas de torrado & moído (-42,1%), levando o total exportado pelo Brasil, entre verdes e industrializados, a 2,96 milhões de sacas, alta de 10%.

“Os resultados de exportação de café referentes ao mês de março foram muito positivos. O Brasil apresentou boa performance mesmo estando no período de entressafra. É importante destacar que o País registrou volumes recordes de exportação nos meses de janeiro a fevereiro”, afirmou, em nota, o presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes.

As vendas totais geraram US$ 379,17 milhões em março, ante US$ 426,24 milhões um ano antes, com impacto de preços quase 20% mais baixos.

Os preços internacionais do café arábica, principal variedade cultivada no País, têm rondado mínimas em mais de uma década na bolsa ICE, refletindo ofertas amplas mundo afora, em especial no Brasil.

Maior produtor e exportador global, o País colheu um recorde de mais de 60 milhões de sacas de café no ano passado e se prepara para uma safra também volumosa neste ano, mesmo sendo um ciclo bianual de baixa produção, conforme dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Recordes – Nos três primeiros meses do ano, os envios de café verde pelo Brasil totalizaram 9,11 milhões de sacas, alta de 28,8% ante o primeiro trimestre de 2018 e recorde para o período, segundo o Cecafé.

Considerando-se os cafés industrializados, o Brasil registrou exportações totais de 9,9 milhões de sacas de café no primeiro trimestre, aumento de 25,7% e também uma quantidade histórica para o período.

“Caminhamos para fechamento do ano cafeeiro com ótimos resultados no desempenho, atingindo prováveis 40 milhões de sacas exportadas, um volume recorde histórico para o período”, avaliou Carvalhaes.

No acumulado da safra até agora (julho a março), as exportações totais estão em cerca de 31 milhões de sacas, 30,3% mais na comparação com igual período do ciclo anterior.

O Cecafé destacou ainda que, em relação aos cafés diferenciados, de janeiro a março, o Brasil exportou 1,8 milhão de sacas, com receita cambial de US$ 312 milhões.

Estados Unidos e Alemanha foram os principais destinos dos cafés brasileiros no primeiro trimestre. (Reuters)