Crédito: Divulgação

No dia 25 de janeiro, Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), já famosa internacionalmente por abrigar o Instituto Inhotim, se tornou notícia no mundo todo não pelas belezas e história que oferece a seus visitantes, mas pela tragédia ocasionada pelo rompimento da barragem de rejeitos da mina do Córrego do Feijão, de responsabilidade da mineradora Vale.

A partir daquela data, os moradores e entidades da cidade passaram a se mobilizar para garantir que seus direitos fossem respeitados e literalmente limpar o nome da cidade. Uma das estratégias traçadas tomou forma ontem, com o lançamento da campanha “Abrace Brumadinho”, liderada pela Associação de Turismo de Brumadinho (ABTR).

No lançamento, que reuniu imprensa e empresários no Mirante Topo do Mundo, em Brumadinho, foram apresentadas as peças publicitárias para TV, rádio, mídia impressa e digital, produzidas pela Agência África. De acordo com o presidente da ATBR, Leonardo Esteves, a veiculação será nacional.

A partir do dia 16, as pessoas já podem acessar o site www.abracebrumadinho.com.br. Os recursos para a viabilização da campanha são oriundos de um acordo feito entre a Associação e a Vale, que atendeu à solicitação da entidade local.

“A veiculação nas mídias tradicionais será nacional, mas nas digitais contamos com os mineiros espalhados pelo mundo para levar essa mensagem muito mais longe. Brumadinho é um destino internacional e queremos mostrar que a cidade está funcionando, apta a receber todos os visitantes. As estradas estão liberadas, serviços públicos operando e estrutura turística completa”, explica Esteves.

Não existe uma meta numérica estabelecida como resultado da campanha. O objetivo é retomar os mesmos patamares de antes do rompimento da barragem, quando o movimento vinha se recuperando após o surto de febre amarela registrado na região no fim de 2017 e início do ano passado.

“Não temos esses números, mas informações do Inhotim e da Secretaria de Turismo mostram que o turismo estava se recuperando na cidade. Queremos, pelo menos, voltar ao que já tínhamos conquistado. É muito importante essa reação, pois a mineração já demonstrou que não vai durar para sempre, precisamos investir naquela que é a vocação natural de Brumadinho: o turismo”, conclama o presidente da ATBR.

A ação também é inspirada nos acontecimentos de 2015, em Mariana (região Central), que sofreu com o rompimento da barragem de rejeitos da ina do Fundão, de responsabilidade da mineradora Samarco. A tragédia é considera o maior desastre ambiental da história do Brasil e teve seus efeitos estendidos pela Bacia do Rio Doce até o encontro com o Oceano Atlântico, no estado do Espírito Santo.

“Brumadinho, de alguma forma, infelizmente, aprendeu um pouco com Mariana. Até hoje, ela luta para mostrar que o Centro Histórico não foi atingido e que a cidade pode receber visitantes. Aqui tivemos um tempo de reação menor para começar esse trabalho. Tanto Mariana quanto Brumadinho estão vivas e têm um lindo patrimônio – natural e cultural – que merece ser conhecido por todos. E é isso que a campanha ‘Abrace Brumadinho’ quer mostrar”, completa.

LEIA TAMBÉM:

Governo faz obras em barragens abandonadas

Expedição no rio Piracicaba visa atualização de dados