Brasília – O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, repetiu ontem que o BC precisa de tempo para analisar a fundo a atividade econômica antes de eventual mudança de rota nas decisões sobre os juros básicos.

Em apontamentos publicados pelo BC por ocasião de sua participação no Fórum da Liberdade, em Porto Alegre (RS), Campos Neto reiterou a importância da manutenção de “cautela, serenidade e perseverança” na condução da política monetária, mensagem que vem sendo repetida pelo BC em suas últimas comunicações.

Com a Selic estacionada na mínima histórica de 6,5% há mais de um ano, ele reafirmou que o balanço de riscos para a inflação mostra-se simétrico, em meio a um ritmo de crescimento econômico aquém do esperado, mas repetiu que o BC precisa de mais tempo para avaliar o cenário antes de eventuais ajustes nos juros básicos.

“É importante observar o comportamento da economia brasileira ao longo do tempo, com menor grau de incerteza e livre dos efeitos dos diversos choques a que foi submetida no ano passado”, disse Campos Neto.

“Esta avaliação demanda tempo e não deverá ser concluída em curto prazo”, completou ele.

Agenda BC+ – Ainda segundo o presidente do BC, “índices gerenciais” estão sendo criados pela autoridade monetária para medir e estabelecer objetivos claros para a capitalização de mercado proveniente de fontes privadas e a penetração do microcrédito e do cooperativismo nas populações alvo dessas modalidades. (Reuters)