Empresa chegou a entregar amostras de minério de ferro para siderúrgicas no ano passado - Eric Gonçalves

A Centaurus Brasil Mineração, de capital australiano, vendeu, por cerca de R$ 2 milhões, o projeto Conquista, na região de Guanhães (Vale do Rio Doce), com capacidade para produzir de 3,5 milhões a 8 milhões de toneladas anuais de minério, para a R3M Mineração.

Conforme explicou a Centaurus, em comunicado oficial, a R3M pagará R$ 500 mil em dezembro, mas a Centaurus manterá o direito a um royalty equivalente a 12% sobre a produção futura da mina. Ainda como parte do acordo, a R3M pagará, antecipadamente, outros R$ 1,5 milhão já referentes a esses royalties de produção.

A Centaurus informou que, após estudos e sondagens no projeto Conquista, as projeções apontam para uma produção anual de 3,5 milhões a 8 milhões de toneladas de minério de ferro, com teor de ferro entre 64% e 67%, um grau considerado elevado no mercado mundial.

Nos últimos anos e, a exemplo dessa alienação da mina Conquista, a Centaurus vem se desfazendo de ativos minerários no Estado para focar na exploração de ativos que a companhia detém, em Carajás, no Pará. A mineradora reafirmou, ainda, que continua procurando opções, seja colocar à venda ou formar uma operação conjunta, ou uma joint venture, para tocar seu principal empreendimento minerário em Minas Gerais, o Projeto Jambreiro, em São João Evangelista, no Vale do Rio Doce.

O projeto é destinado à produção que pode chegar até 3 milhões de toneladas anuais de minério de ferro. A estimativa de investimentos na primeira fase do projeto, que envolve a produção de 1 milhão de toneladas de minério por ano, é de US$ 47 milhões. A Centaurus acrescentou, sem revelar detalhes, que já existem “discussões em curso” para o desenvolvimento do ativo.

Qualidade – A Centaurus defende que o ativo de Jambreiro é de alta qualidade, com potencial para produzir minério de ferro premium (de alta qualidade), com aproximadamente 65% de teor de ferro. Durante o último trimestre de 2017, inclusive, a companhia chegou a entregar amostras para potenciais clientes siderúrgicos no Brasil para testes. Além disso, a mineradora destaca a forte cultura mineradora de Minas Gerais e a disponibilidade de mão de obra qualificada para trabalhar no setor mineral.

Segundo a companhia, com base nos atuais preços do minério de ferro, o projeto Jambreiro permanece muito atraente. O estudo de viabilidade original do projeto foi concluído no final de 2013 e foi baseado em uma média de vendas de preço do minério de ferro para a indústria siderúrgica nacional a US$ 82,70 por tonelada.