Aumento na produção da cerveja artesanal deve resultar em aumento de 20% nas vendas

Com 10 anos de mercado, a Cervejaria Küd, instalada no Jardim Canadá, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, acaba de expandir a fábrica e aumentar sua capacidade de produção. A nova sala de brassagem, uma espécie de anexo, vai permitir aumentar em 10 vezes a capacidade dos tanques de fermentação, de 250 litros para 2.500 litros e, assim, dobrar a capacidade de produção passando dos 17 mil litros/mês para 30 mil litros/mês. Os investimentos somam R$ 2 milhões.

A expectativa é não somente suprir a demanda crescente das bebidas, mas também aumentar as vendas. “Antes, a gente esbarrava no volume de cerveja que conseguíamos produzir e às vezes faltava cerveja para atender a demanda. Agora, temos a possibilidade de aumentar as vendas e ganhar novos mercados e, conforme o mercado responder a isso, há também a possibilidade de se reduzir o preço das bebidas”, explica o diretor da empresa, Bruno Parreiras, que espera inicialmente aumentar as vendas em cerca de 20%.

A nova sala se destina a produção dos chopes enquanto os equipamentos já existentes irão servir ao envase de latas, permitindo padronizar sensorialmente a linha de produção. Além disso, a expansão também permite viabilizar o projeto de lançar todo mês uma nova receita.

“Com essa nova estrutura, temos a possibilidade de fazer mensalmente novas receitas em pequenos volumes. Já fizemos quatro receitas este ano e mais uma no lançamento da nova unidade”, conta Parreiras.

Os novos produtos são sazonais e lançados em edição limitada, podendo voltar às vendas uma ou duas vezes ao ano. “Isso é interessante para o mercado porque o consumidor da cerveja artesanal quer experimentar coisas novas, sabores novos. E antes, a gente estava trabalhando no limite da nossa produção e agora com essa capacidade bem maior, vamos poder oferecer isso para o cliente e trabalhar nestas duas frentes, a da produção regular e a das novidades”, relata.

Isso também funciona como um termômetro de qualidade para a empresa, já que as edições limitadas, vendidas apenas na versão chope e distribuídas a estabelecimentos e consumidores especializados, servem como um teste de degustação antes do lançamento para o público.

A ‘pegada’ rock’n’roll da marca se mantém. Tanto que as novas receitas são sempre inspiradas por clássicos do gênero. Só neste ano, já foram contempladas bandas como Aerosmith, Neil Young e Iron Maiden.

Novos mercados – Atualmente encontrada em supermercados, empórios e restaurantes adeptos das cervejas especiais, a Küd tem a maior parte de sua produção comercializada em Minas Gerais, mas isso também pode mudar com a nova estrutura.

“Hoje, Minas corresponde a 70% do nosso mercado, mas também vendemos para Brasília, Rio, São Paulo e alguns estados do Nordeste. Agora, vamos tentar intensificar mais essa venda para fora do Estado, até porque em BH o mercado de cervejas artesanais já está bastante concorrido. E então temos que buscar novos mercados fora daqui, e até mesmo exportar para fora do País, o que é um pouco mais difícil porque o nosso produto acaba chegando mais caro lá, mas é uma possibilidade que não está descartada”, conclui o diretor da empresa.