Foto: Divulgação

Berço do republicanismo brasileiro, dona de um dos mais singulares patrimônios do barroco mineiro, famosa por seus sabores – especialmente o queijo e a cachaça – e assentada sobre a exuberante Serra do Espinhaço, que lhe confere um clima único, o Serro acaba de ganhar um guia especial.

O Guia Cultural do Serro, lançado pela Casa Sol Invictus, é uma releitura das pesquisas realizadas por Affonso Ávila na década de 1970. O famoso intelectual mineiro refez o caminho percorrido pelo naturalista francês Auguste de Saint Hilarie, no século XIX. Ambos, cada um a seu modo e ao seu tempo, descreveram as belezas materiais e imateriais da antiga Vila do Príncipe – distante 230 quilômetros de Belo Horizonte, na região Central.

De acordo com o editor do Guia do Serro, Moysés Maltta, a atual jornada atualizou as indicações feitas pelos dois estudiosos do passado e conferiu ao guia um novo aspecto: o turístico. Foi necessário mais de um ano de pesquisa para a construção da obra.

Além do Serro, o volume inclui informações sobre os distritos de Milho Verde, São Gonçalo do Rio das Pedras e Mato Grosso e sobre os municípios de Alvorada de Minas, Santo Antônio do Itambé, Serra Azul de Minas e Rio Vermelho. A pesquisa foi conduzida pelo editor e mais dois historiadores.

“Optamos por incluir elementos turísticos, assim como indicações de como usufruir desses bens, ficando parecido com um guia de viagens. Batizamos como ‘Circuito Cultural do Serro’ para distinguir do trabalho de Affonso Ávila, e do ‘Circuito Turístico do Diamante’, que é uma classificação da Secretaria de Estado de Turismo. O nosso trabalho abrange muito mais cidades e pega além de cidades do Circuito Turístico do Diamante, cidades do Circuito Turístico Serra do Cipó é do Circuito Turístico das Pedras Preciosas”, explica Maltta.

O livro é o primeiro de uma série de quatro, batizada como “Circuito Cultural do Diamante”. A ideia é percorrer todo o território estudado por Saint Hilarie e Affonso Ávila, dividido em quatro núcleos: Conceição do Mato Dentro, Diamantina e Minas Novas, além do Serro.

A tiragem inicial do Guia Cultural do Serro é de 8 mil exemplares disponíveis para o público no site www.circuitodiamante.com.br.

“Nosso intuito é que o livro também seja um suporte pedagógico para escolas da região. Criamos o Programa de Valorização e Integração da História e da Cultura com o Turismo e o Desenvolvimento Humano (Cul-tur). A partir da leitura do livro os professores vão poder criar roteiros de visitação e gerar conteúdo produzido como resultado da aprendizagem dos alunos. Acreditamos que as crianças podem ser multiplicadores desse conhecimento e, assim, criar um sentimento de pertencimento. Só podemos desenvolver o turismo como uma a alternativa econômica se a população conhecer e preservar o seu patrimônio”, completa o autor.