Brandão explica que a compra foi estratégica e cumpriu dois objetivos de uma só vez - Crédito: Divulgação

Com foco no mercado de soluções tecnológicas para a gestão e automação financeira, a empresa paulista Finnet consolida sua expansão para o mercado mineiro com a compra da empresa Conciliadora de Cartões, que tem sede em Belo Horizonte.

O valor envolvido na operação gira em torno de R$ 3 milhões e a expectativa é de que o retorno do aporte aconteça até o fim de 2020. A aquisição também marcou o início da presença física da Finnet em Minas Gerais, um dos principais mercados da empresa.

O diretor de marketing e comercial da Finnet, Ori Brandão, explica que a compra da empresa mineira foi estratégica e cumpriu dois objetivos de uma só vez. Um deles era a necessidade da presença física no Estado, que é o segundo em market share da operação.

“O Estado já representa muito para a empresa e sabemos que ainda há um potencial a ser explorado. Estar em Minas Gerais é muito importante para nós: estamos falando de um polo tecnológico e um berço de universidades públicas, que são fonte de mão de obra de qualidade”, argumenta.

A compra da Conciliadora de Cartões também permite a expansão de portfólio da empresa que, até então, oferecia apenas uma solução para integração do sistema das empresas aos sistemas dos bancos. Agora, a Finnet passa a vender, também, o serviço de conciliação de cartões.

“A Conciliadora de Cartões está entre as três empresas mais presentes nesse mercado e tem uma cultura muito próxima à da Finnet. Agora, além da gestão e automação financeira, as empresas podem contratar conosco o software para a conciliação de informações de vendas e compras realizadas por meio de cartões”, detalha.

Com a nova operação e a presença física no Estado, a expectativa é de expansão no mercado mineiro, segundo o executivo. Ele espera que o investimento de cerca de R$ 3 milhões realizado na aquisição tenha retorno até o fim de 2020.

“Também esperamos um crescimento de 20% em market share e de 30% no faturamento até novembro”, afirma.