Segunda edição do festival O Quilo é Nosso conta com 200 restaurantes participantes em todo o Brasil/Foto: Divulgação

Minas Gerais tem concursos gastronômicos de tudo quanto é jeito. Petiscos, comidas de boteco, restaurantes, bares e afins. Mas ainda faltava um evento para contemplar a comida a quilo, modalidade que, por sinal, nasceu em Belo Horizonte na década de 80. Por isso foi criado o festival O Quilo é Nosso, que chega a sua 2ª edição neste ano e abrange cerca de 200 restaurantes em todo o País.

Realizado pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) em parceria com a revista Prazeres da Mesa, o concurso começou ontem e vai até 2 de outubro. Será premiada a melhor casa de comida a quilo do País e também os melhores restaurantes em cada cidade e estado. Minas Gerais conta com 18 estabelecimentos participantes, todos eles concentrados na capital mineira.

Por se tratar de um concurso recente, ainda não é possível mensurar o número de público ou pratos vendidos. “Até porque, para participar do concurso os restaurantes criam um prato especial e o incluem em seu buffet, então o consumidor não pega somente o prato criado, mas também outras opções”, explica o presidente da Abrasel-MG, Ricardo Rodrigues.
A estimativa, entretanto, é que o movimento nestas casas cresça de 8% a 12% durante o festival e que o público aumente 5% se comparado ao último evento realizado. Já em relação às vendas, a expectativa é que as casas participantes tenham um incremento de 10% a 15% no faturamento.

“É uma oportunidade de divulgação e de formação de nova clientela para os restaurantes de comida a quilo. Além disso, é a oportunidade de criar novos pratos com uma pegada mais gastronômica. Várias casas acabam incorporando o prato criado para o concurso”, comenta Rodrigues.

Um destes estabelecimentos é o Verdinho, localizado no bairro São Bento, que venceu a etapa estadual do concurso no ano passado com um filé de tilápia grelhado ao pesto de hortelã e servido com purê de banana da terra. Soraya Carvalho, sócia do estabelecimento, conta que desde então o movimento no restaurante aumentou em torno de 5%.

“O surgimento do festival foi muito bom porque a gente vê muito concurso de comida de boteco, por exemplo, e a modalidade de comida a quilo nunca teve um olhar diferente, e essa novidade acabou atraindo a atenção do público. Para esta edição, desenvolvemos um prato bem na onda do low carb, que vai ficar no buffet durante todos os dias de concurso, e depois vamos mantê-lo no cardápio pelo menos uma vez por semana”, conta.

Outro participante mineiro desta edição é o Restaurante Tia Zarica, localizado no bairro Floresta, e estreante na disputa. A previsão de um dos sócios, Marcelo Andrade, é que o concurso aumente a movimentação do restaurante em torno de 10%.

“Estamos investindo neste concurso, preparamos uma decoração especial, desenvolvemos um novo prato com toda a tecnologia que temos no restaurante. E toda essa movimentação em prol do concurso acaba atraindo um público novo, ajuda a dar visibilidade para os restaurantes”, comenta.

O tema deste ano é “saudável e original do Brasil”. Na primeira fase do concurso, nas cidades, a disputa acontece por meio do voto popular. Já nas etapas estaduais e nacional, os pratos serão avaliados por um júri especializado técnico.

Estabelecimentos – Além do Verdinho Restaurante (Nhoque de nhame Low Carb gratinado ao molho à bolonhesa) e do Tia Zarica (Empanado sem culpa com molho refrescante), os restaurantes e pratos de Belo Horizonte que participam desta edição são o Amarelim Prudente (Empadão de frango com catupiry), Assacabrasa Bahia (Legumes na brasa), Boi Vitório (Cozido com polenta mineira), Celeiro de Minas (Linguada verde leve), Chalé da Mata (Tropeiro à moda Chalé), Daniel’s Cook (Tilápia exótica ao molho do chefe), Isto e aQuilo (Fricassê de Frango), Nino Pizzaria (Peixe assado ao molho mediterrâneo), Paracone (Nhoque bem brasileiro), (Reciclo Pimentão à moda pizzaiolo), Restaurante Família Daniel (Fraudinha com banana da terra), Maria das Tranças Savassi (Bolinho primavera), Origem (Filé de surubim à Origem), Sachica (Chicoso), Tudo na Brasa (Medalhão mineiro) e Villa Gaia (Tilápia Villa Gaia).