A construção das casas de Bento Rodrigues, povoado de Mariana mais atingido pela lama da barragem de Fundão, deve ter início até agosto deste ano. Para evitar novos atrasos na finalização das obras, a Justiça determinou na quarta-feira (13) que a Samarco e suas sócias têm até 27 de agosto de 2020 para realizar o reassentamento de pessoas atingidas pelo rompimento da barragem em Mariana.

Tal decisão atende a pedido do Ministério Público Estadual. Em nota, o MPE informou que as companhias devem proporcionar, no prazo, moradia a cerca de 300 famílias que moravam nas comunidades de Bento Rodrigues, Paracatu de Cima, Paracatu de Baixo, Ponte do Gama, Pedras, Borba, Camargos e Campinas. A multa pelo descumprimento é de R$ 1 milhão. O programa inicial previa que o reassentamento seria finalizado em março de 2019, ou seja, neste mês.

Diretor-presidente da Fundação Renova, Roberto Waack afirmou que a entidade trabalha com o cronograma de entrega em 2020. Em Bento Rodrigues, este ano, devem ser concluídas as obras de infraestrutura e terá início a construção de casas. Para Paracatu de Baixo está previsto o início das obras de infraestrutura, das casas e de equipamentos coletivos. Em Gesteira, o objetivo é dar início a obras de infraestrutura.