Csem possui laboratórios bem equipados e profissionais com alto nível de conhecimento - Crédito: Paulo Cunha/Outra Visao

Minas Gerais e, em especial, Belo Horizonte, é a sede de um dos mais importantes Centros de Pesquisa e Desenvolvimento de Inovação e Tecnologia do País e do mundo. Criado em 2006 pela FIR Capital, com o apoio do governo de Minas, através da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), o Csem Brasil é um centro privado, sem fins lucrativos que possui modelo de atuação baseado na experiência do Centro Suíço de Eletrônica e Microtecnologia – Csem Suíça.

Com laboratórios bem equipados e profissionais com alto nível de conhecimento, o Centro de Pesquisa se tornou referência no desenvolvimento de produtos e aplicações tecnológicas que ofertam às empresas, dos mais diversos setores, meios para o aumento da produtividade, competitividade e novas oportunidades de mercado.

“Vivemos em meio a mais uma revolução industrial onde as tecnologias, a inteligência artificial, big data, internet das coisas se tornaram realidade e estão cada dia mais inseridos nos processos produtivos da indústria. Nesse cenário investir em pesquisa e desenvolvimento é fundamental, mas, envolve riscos e custos e isso é um desafio para as empresas. Hoje, tal situação é facilitada por centros de pesquisas e desenvolvimento como o Csem Brasil que compartilham desse desafio”, declara a gerente de novos negócios do Csem Brasil, Fabiana Drumond.

A instituição que é hoje uma unidade de pesquisa credenciada pela Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) possui duas plataformas de desenvolvimento importantes para atuação em diversos setores: os microssistemas cerâmicos e a eletrônica impressa.

Seguindo a cadeia de inovação suíça, o centro desenvolve projetos relacionados à sensoriamento, utilizando uma combinação de tendências como Inteligência Artificial e Internet das Coisas (IoT), além de projetos relacionados à eletrônica impressa, que possibilita flexibilização e amplia o gama de aplicações e soluções tradicionais.

Entre eles destacam-se as tecnologias aplicadas de LTCC (Low Temperature Co-Fired Ceramics) e os painéis solares orgânicos (OPV). O Csem é pioneiro no País em pesquisas para aplicações diversas do OPV e no desenvolvimento de sensores para monitoramento de ambientes extremamente hostis.

“Essas tecnologias são desenvolvidas em nosso país e temos orgulho disso”, completa Fabiana Drumond.

Em seu portfólio de projetos, o Centro de Pesquisa apresenta parcerias com importantes empresas como Petrobras, Cemig, Philips, Bosch e AES Brasil

Destaca-se o projeto Carport em parceria com a AES Brasil. Trata-se do desenvolvimento da tecnologia aplicada à OPV para geração de energia e recarga de veículos elétricos. Além da parceria com a Bosch para o desenvolvimento da tecnologia aplicada em sensores inteligentes com comunicação de longo alcance, instalados em esteiras para transporte de minério. Tais sensores realizam a predição de falhas, reduzem os custos com a manutenção destes equipamentos e otimizam a operação das minas.

Referência – Quando o assunto é inovação é comum pensar em iniciativas desenvolvidas por outros países. Mas o Brasil, em 2018, ganhou cinco posições no Índice Global de Inovação (IGI), subindo do 69º para o 64º lugar em um ranking formado por 126 países. Entre as áreas de destaque do País estão importações e exportações líquidas de alta tecnologia; qualidade de publicações científicas; universidades e gastos com pesquisa e desenvolvimento (P&D).

Os projetos inovadores desenvolvidos pelo Csem Brasil já são reconhecidos por instituições de ensino nacionais e internacionais que se tornaram parceiras do centro de pesquisa. MIT, Imperial College, University of Cambridge, UFMG, USP, École Polytechnique Federale de Lausanne, são apenas algumas das diversas instituições que enviam estudantes para desenvolverem projetos de pesquisa junto à equipe do Csem Brasil.

Csem Brasil – Com base na experiência do Centro Suíço de Eletrônica e Microtecnologia (Csem SA), que já na década de 80 apostava em inovação para o desenvolvimento do País, a FIR Capital trouxe o modelo para o Brasil. Assim, no ano de 2006, nascia o Csem Brasil, com o apoio do Centro Suíço e do governo de Minas, através da Fapemig.

O Csem Brasil investe na ciência aplicada em projetos de pesquisa e desenvolvimento, criando soluções originais com foco no mercado e nos desafios enfrentados pelas empresas. O Centro de Pesquisa também realiza trocas tecnológicas com o Csem Suíça.

Além disso, promove a ligação entre ciência, tecnologia, mercado e indústria, com a formação de novas empresas e nichos de atuação, estimulando toda a cadeia de valor. Ao fomentar a inovação tecnológica, o Csem Brasil contribui para setores estratégicos da economia e aumenta a competitividade do País em escala global, buscando sustentabilidade econômica e desenvolvimento social.