Mina Casa de Pedra tem capacidade instalada de 30 milhões de toneladas de minério de ferro - Crédito: Divulgação

A CSN Mineração S.A., subsidiária da Companhia Siderúrgica Nacional, divulgou em seu site detalhes de um projeto para a implantação de uma Planta de Beneficiamento de Itabiritos com capacidade de 10 milhões de toneladas por ano. O investimento no empreendimento, ainda em fase de licenciamento ambiental, em Congonhas, no Campo das Vertentes, será de aproximadamente R$ 1,3 bilhão.

A planta será instalada na Mina Casa de Pedra, que atualmente possui capacidade de produção de 30 milhões de toneladas por ano. Durante o período de implantação, previsto para acontecer ao longo de 20 meses, haverá contratação de até 1.300 funcionários, conforme prevê o projeto. Durante a operação serão gerados cerca de 400 postos de trabalho.

Segundo o documento divulgado pela CSN Mineração, será priorizada a contratação de mão de obra local. Além da geração de empregos diretos e indiretos, o aumento na arrecadação tributária do município de Congonhas é destaque no projeto.

A implantação permitirá à CSN Mineração o aproveitamento de minérios mais pobres, tendo como principais ganhos o aumento da vida útil da Mina, a liberação de hematita para beneficiamento na Planta Central já existente e a diminuição do volume de rejeitos. Será produzido pellet feed, um tipo de minério fino que deve passar por processo de pelotização para ser utilizado em siderurgia

A Planta de Itabirito 10Mtpa será composta por todas as unidades necessárias para o beneficiamento, desde a recepção do minério vindo da mina para a britagem primária, até a filtragem do produto final para o embarque ferroviário e filtragem do rejeito para empilhamento. Com uma alimentação de 21 milhões de toneladas por ano de itabirito, a produção anual de 10 milhões de toneladas de pellet feed vai permitir que os itabiritos pobres, que atualmente ocupam grande área da mina, sejam processados para atender à demanda mundial de ferro para produção de aço, informa o relatório.

O rejeito gerado do beneficiamento será encaminhado por um rejeitoduto para o processo de filtragem. O rejeito drenado será empilhado e a água resultante do processo de filtragem será recirculada.

Para operacionalização da produção de pellet feed, o empreendimento será composto por uma área industrial para o beneficiamento mineral, escritórios de apoio operacional, pátios de insumos e resíduos e sistemas de controle ambiental, unidade de filtragem de pellet feed, unidade de filtragem de rejeito, mineroduto e rejeitoduto.

Audiência pública – O projeto da planta de beneficiamento da CSN será tema de uma audiência pública em Congonhas no dia 1º de agosto.

LEIA TAMBÉM:

CSN anuncia um contrato de US$ 250 milhões