Crédito: DIVULGAÇÃO

Levantamento divulgado nesta semana pela PwC Brasil aponta que, de janeiro a março, foram registradas 174 fusões e aquisições no País, um crescimento de 14% em relação ao mesmo período de 2018. Minas Gerais representou, no primeiro trimestre do ano, 7% do total transacionado.

O setor de TI segue como preferência dos investidores, com 56 transações de fusões e aquisições anunciadas no primeiro trimestre no Brasil. O resultado representa um crescimento de 51% em relação ao mesmo período de 2018, quando foram realizadas 37 transações.

Nesse segmento, em Minas Gerais, a startup brasileira Loggi, que opera plataforma de solicitação de entregadores, realizou a aquisição da startup mineira WorldSense, desenvolvedora de software que integra inteligência artificial aplicada à publicidade digital. A transação, realizada no primeiro trimestre de 2019, não teve valores anunciados.

O setor de mineração também teve destaque no mês de março em Minas Gerais, com a aquisição da companhia Cal Arco Íris, sediada no município de Formiga. A empresa foi adquirida pela belga Carmeuse, companhia de mineração e produção de cal, por meio da organização Carmeuse Brasil. Os valores da transação não foram anunciados.

Analisando os números por regiões, o Sudeste recebeu 61% do interesse do investidor, com 107 transações até março, uma redução de 4% em comparação ao ano anterior (2018 – 112 transações). A região Sul foi a que registrou maior crescimento, com 29 negociações anunciadas, 61% superior ao mesmo período de 2018 (18 transações).

Segundo o sócio da PwC Brasil e líder da área de transações, Leonardo Dell’Oso, o crescimento no número de fusões e aquisições confirma a retomada das operações de fusões e aquisições de forma cautelosa, no compasso da execução das medidas econômicas anunciadas.