Foto: Pxhere

Brasília – O Diário Oficial da União (DOU) da última terça-feira publicou decreto do presidente Michel Temer que instala a Agência Nacional de Mineração (ANM). O texto também aprova a estrutura regimental e o quadro dos cargos em comissão da agência.
O decreto só entrará em vigor no próximo dia 5 de dezembro, quando a ANM ficará “investida no exercício pleno de suas atribuições” e o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) será efetivamente extinto.

Segundo o texto, o diretor-geral da ANM publicará no Diário Oficial da União no prazo 60 dias relação nominal dos titulares dos cargos em comissão do órgão, indicando o número de cargos vagos, suas denominações e seus níveis. Também em 60 dias, o diretor-geral editará o regimento interno para detalhar as unidades administrativas da ANM, suas competências e as atribuições de seus dirigentes.

Criada por medida provisória, convertida na Lei 13.575/2017 em dezembro passado, a nova agência substitui o DNPM na regulação e fiscalização do setor de mineração. O órgão é vinculado ao Ministério de Minas e Energia e será liderado por uma diretoria colegiada, composta por cinco diretores, indicados pelo presidente da República e nomeados depois de aprovação do Senado Com o decreto agora publicado, os anteriores que tratavam da estrutura da nova agência foram revogados.

Diretoria – O presidente Michel Temer nomeou Victor Hugo Froner Bicca como diretor-geral da recém-criada ANM, com mandato de quatro anos. Formado em Geologia, Victor Bicca já ocupava o mesmo cargo no DNPM) que, com a nova agência, será extinto.
Também foram nomeados ontem os outros quatro diretores da ANM: Debora Toci Puccini; Tomás Antônio Albuquerque de Paula Pessoa Filho; Tasso Mendonça Júnior; e Eduardo Araujo de Souza Leão.

As nomeações foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU) de ontem, que ainda trouxe decreto presidencial sobre a ANM. (AE)