Foto: Embraer - Divulgação

Zhuhai, China – A Embraer divulgou, durante a 12ª China International Aviation & Aerospace Exhibition (Exposição Internacional de Aviação & Aeroespacial da China), a mais recente previsão para o mercado chinês de aviação comercial. A Embraer prevê que o mercado chinês irá demandar 1.390 novos jatos com até 150 assentos nos próximos 20 anos (avaliados em USD 82 bilhões, a preços de lista).

“Segundo as estatísticas, o mercado da Ásia-Pacífico teve o maior crescimento em termos de volume de passageiros em 2017. Na China, especificamente para o mercado interno, a taxa de crescimento foi de 13,3%. Graças ao constante ritmo de crescimento econômico, investimento contínuo na construção de aeroportos, a implementação de planos básicos de serviços aéreos e aumento de classe média, fatores que impulsionaram a demanda por viagens aéreas, acreditamos que nos próximos 20 anos, aeronaves com até 150 lugares terão um enorme potencial na China”, disse Arjan Meijer, Chief Commercial Officer, Embraer Aviação Comercial.

Nas últimas décadas, a China introduziu uma série de políticas favoráveis para apoiar o crescimento do tráfego aéreo e alcançou grande sucesso na construção de aeroportos. De acordo com o plano da CAAC, autoridade de aviação da China, mais de 50 novos aeroportos serão construídos durante o 13º Plano Quinquenal. Até 2035, outros 140 aeroportos serão construídos, sendo a maioria será aviação regional. Com o aumento do número de aeroportos, o mercado exige mais aeronaves regionais com um número adequado de assentos para desenvolver novas rotas.

Ao mesmo tempo, os dados mostram que os 30 principais aeroportos da China movimentam quase 80% do total de passageiros, o que resulta na capacidade saturada e na escassez de “slots” em aeroportos centrais. Portanto, a Embraer acredita que as companhias aéreas vão investir mais nos mercados secundários e terciários com abundantes fontes de aviação.

“Os E-Jets e E-Jets E2 da Embraer, com tamanho adequado, atenderão perfeitamente à demanda de mercado em cidades secundárias e terciárias e atenderão às necessidades de várias companhias aéreas. Com grande eficiência operacional e excelente desempenho, os E-Jets e os E-Jets E2 criarão mais valor para nossos clientes chineses, explorarão mercados potenciais para as companhias aéreas, melhorarão a acessibilidade para os viajantes e contribuirão para o desenvolvimento da aviação regional na China”, disse Guo Qing, Diretor de Vendas e Marketing para a China da Embraer Aviação Comercial.

Para atender à crescente demanda por viagens, a Embraer lançou os E-Jets E2, a mais nova geração de jatos da Empresa, com o objetivo de construir a mais eficiente e confortável família de aeronaves de corredor único com até 150 assentos. Até o momento, o programa E-Jets E2 registrou mais de 270 pedidos, dos quais mais de 130 são firmes. Na China, a Embraer registrou 22 compromissos para os E-Jets E2.

Em abril de 2018, a Embraer entregou os primeiros E-Jets E2 do mundo para a Widerøe da Noruega. Até o momento, três E190-E2 já acumularam mais de 2.500 horas de voo com a Widerøe, alcançando um excelente índice de confiabilidade em torno de 99%.