Foto: ONU/Divulgação

DA REDAÇÃO

Mais de 78% das empresas integrantes da Rede Brasil do Pacto Global possuem estratégias de atuação relacionadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), sendo que destas 51% têm compromisso público.

Esse é um dos resultados da pesquisa inédita “Integração dos ODS na Estratégia Empresarial”, que revela a tendência do setor privado do século 21 de se envolver com a sustentabilidade corporativa.
O estudo baseado na resposta de 142 organizações elabora um diagnóstico de engajamento do setor privado aos ODS e da integração desses objetivos nas ações estratégicas dos negócios.

Além disso, o estudo também testa os limites do SDG Compass, ferramenta oferecida pelo Pacto Global como principal referência metodológica.

Prioridades das empresas – As empresas pensam no compliance (adequação às leis) e nos riscos à reputação quando criam um ambiente corporativo atrelado aos ODS – as três motivações mais relevantes foram código de ética (53%), imagem e reputação atrelada à sustentabilidade (43%) e cumprimento das leis (38%).

Daquelas que priorizaram os ODS, a maioria (48%) acredita que o fez para ter reconhecimento no futuro e no impacto positivo na cadeia de valor (37%).

O SDG Compass, contudo, também sugere que os ODS sejam priorizados com base nos riscos que os negócios podem trazer para as pessoas e para o meio ambiente. Nesse caso, apenas uma minoria das empresas (16%) deu foco aos impactos negativos na hora da priorização.

Os ODS mais considerados são “Saúde e Bem-Estar” ou ODS 3 (62%) e “Trabalho Decente e Crescimento Econômico” ou ODS 8 (58%). Já os menos são o “Vida na Água” ou ODS 14 (12%) e o “Fome Zero e Agricultura Sustentável” ou ODS 2 (22%).

O documento traz os desafios do setor privado rumo à sustentabilidade corporativa, e até recomendações para a atuação da Rede Brasil.
Também são elencados esforços de empresas para integrar a sustentabilidade no centro da estratégia, servindo como inspiração para o setor privado como um todo.

Um das histórias é da signatária MRV Engenharia, que conseguiu reportar os caminhos realizados pela construtora para tornar transversal os ODS nas práticas internas. O exemplo foi resultado de quatro meses de trabalho entre representantes de 33 áreas diferentes da empresa, além da realização de workshops, webinars e treinamentos em todas as obras.

Edital – O Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU lançou em novembro (1º) uma chamada para governos, entidades das Nações Unidas, organizações internacionais e regionais e outros atores relevantes divulgarem boas práticas, histórias de sucesso e lições aprendidas na implementação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

As contribuições podem ser enviadas até 28 de fevereiro de 2019 pelo site da iniciativa. As boas práticas selecionadas serão divulgadas on-line e, quando aplicável, as submissões podem servir como insumos para os preparativos temáticos para as sessões de 2019 do Fórum Político de Alto Nível sobre Desenvolvimento Sustentável (HLPF, na sigla em inglês).

As submissões serão analisadas por uma equipe interinstitucional dedicada coordenada pelo Departamento da ONU, e os resultados serão disponibilizados online para fácil acesso e ampla disseminação.

Um evento será organizado no período que antecede o fórum político de 2019, reunido sob os auspícios da Assembleia Geral, para apresentar uma seleção de boas práticas e histórias de sucesso e para apresentar as principais conclusões do levantamento de dados baseado em evidências.

A expectativa é de que a submissão, coleta, análise e disseminação de boas práticas, histórias de sucesso e lições aprendidas ajudem a estimular o impulso para a implementação da Agenda 2030 e dos ODS.