Foto: Divulgação - Agricultores têm comercializado grão abaixo do custo de produção

Brasília – Integrantes da Comissão Nacional do Café da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) se reuniram com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, na última sexta-feira, em Brasília. O grupo solicitou o apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para a elaboração conjunta de políticas de garantia de renda para a cafeicultura nacional.

No documento entregue à ministra, a CNA propôs ações baseadas no desenvolvimento de mecanismos de proteção de risco adequados à atividade, na melhoria das políticas cafeeiras amparadas no Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) e na regularização dos débitos crônicos que se estenderam ao longo dos últimos anos.

“Cada um saiu daqui com uma tarefa de casa. Temos um estoque grande de café e hoje os preços não são bons. Precisamos construir juntos para ver o que é possível fazer para melhorar a vida do produtor rural, para que ele receba mais e tenha mais renda”, disse Tereza Cristina.

Durante o encontro, os participantes também apresentaram números sobre a cafeicultura nacional e discutiram propostas que possam garantir a sustentabilidade econômica do setor.

Postura preventiva – Na opinião do presidente da Comissão Nacional do Café da CNA, Breno Mesquita, é preciso antecipar medidas para evitar o que aconteceu no ano passado, quando mesmo com uma safra boa, os produtores comercializaram o grão abaixo do custo de produção e não obtiveram lucro.
“Queremos discutir políticas no tempo certo e na medida certa para ajustar e dar ao cafeicultor a rentabilidade que ele precisa por um ano de trabalho”, afirmou Breno Mesquita.
O superintendente técnico da CNA, Bruno Lucchi, e o assessor técnico da Comissão Nacional de Café da CNA, Maciel Silva, também participaram da reunião. (Com informações da CNA).