Colégio ICJ passou a trabalhar em 2016 com um modelo de ensino bilíngue já a partir da educação infantil - Foto: Divulgação

Conforme a Associação Brasileira de Ensino Bilíngue (Abebi), mais de 1,2 mil escolas privadas investem nesse tipo de ensino, sendo aproximadamente 270 mil crianças estudando outro idioma, além do português, do total de 9 milhões de alunos brasileiros na educação básica e fundamental. Em Belo Horizonte, o Colégio ICJ Sistema de Ensino Bernoulli investe no modelo de ensino bilíngue desde 2016.

A diretora de ensino Christina Fabel esclarece que a ação foi um formato inédito no segmento educacional na Capital. “Tivemos a ousadia em apostar que o aprendizado bilíngue na Educação Infantil poderia ser realizado de uma forma robusta e lúdica. Montamos uma grade curricular com o horário de aula diário dividido em dois módulos com duração de 2 horas cada, tendo à frente duas professoras trabalhando os conteúdos nas duas línguas.

Os alunos mudam de sala após o intervalo, o que leva também ao desenvolvimento da autonomia e da responsabilidade coletiva. Montamos assim, salas ambientalizadas, tecnologicamente equipadas, descontraídas e, claro, estimulando o aprendizado”, afirma.

O Colégio ICJ procurou, então, a Secretaria Municipal de Educação para obter a autorização, já que o método era inédito e inovador. “O diferencial está no fato de as crianças se deslocarem de sala e não os professores”, revela. A mudança de sala proporciona ambientes completamente distintos e temáticos, acelerando o processo de aprendizagem e ampliando a gama de possibilidades no âmbito acadêmico e profissional do aluno, no futuro.

Para a diretora, é impensável que o aluno comece a estudar a língua inglesa somente aos 10, 11 anos. “Sabemos que estamos vivendo em um mundo globalizado e que, claro, o aluno tem que se preparar desde cedo para se tornar um indivíduo internacional. Assim, quando ele chegar na adolescência, já terá um conhecimento maior de como a língua se articula enquanto gramática, sem vícios de linguagem”, finaliza.

Comunicação – Uma das mais tradicionais empresas de comunicação em Minas Gerais, a Zoom Comunicação expandiu os serviços para o crescimento do negócio. Além de assessoria de imprensa, marketing digital, gestão de conteúdo em redes sociais e produção editorial, a empresa lançou cursos de comunicação para diversos públicos. A programação mantém cinco cursos com enfoque prático em assessoria de imprensa; redes sociais; gravação e edição de vídeos; design e português com turmas durante a semana à noite e aos sábados. O cronograma ainda inclui especialistas convidados de São Paulo para workshops e cursos específicos nos fins de semana.

“Buscar novos nichos, mantendo a área de atuação é uma estratégia elementar para se manter em um mercado cada vez mais competitivo. Identificamos as diferentes demandas, conciliamos e investimos, também, na própria capacitação dos comunicadores. Muitos alunos desses cursos são profissionais do setor de comunicação que demandam reciclagem de conhecimento e estudantes à procura de qualificação técnica mais rápida. O investimento foi baixo e já responde por 30% do faturamento”, revela o sócio-diretor Admilson Resende.