Para o próximo ano, espera-se melhores condições macroeconômicas, direcionadas também pelas reformas estruturais – como a previdenciária e tributária, baseada na negociação dos novos governos com o Legislativo. As expectativas são na direção do desenvolvimento sustentado.

De modo geral, o setor produtivo também aguarda definições estruturais para logística e infraestrutura. São necessárias medidas para melhorar estradas e ferrovias e também de redes de distribuição de energia no meio rural (reduzindo as perdas e possibilitando desenvolvimento das atividades agropecuárias). Aguarda-se também a regulamentação de legislações aprovadas ou andamento de projetos de lei. No primeiro caso, produtores esperam, por exemplo, os direcionamentos para a Lei Federal 13.680/2018, que trata da comercialização dos produtos artesanais de origem animal entre estados. Há expectativa de desdobramentos para recomposição de débitos rurais e na seara ambiental.