Crédito: Eric Gonçalves

São Paulo – A exportação total de café do País em abril somou 2,97 milhões de sacas de 60 kg, alta de 24,6% na comparação com mesmo mês do ano passado, com o Brasil tirando proveito de uma safra recorde no ano passado, informou, na sexta-feira (10), o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé).

A exportação de café verde do Brasil em abril atingiu 2,71 milhões de sacas, alta de 30,3% na comparação anual, com o arábica respondendo por 2,52 milhões, em momento em que produtores estão começando a colheita da nova temporada, que promete ser grande.

“A performance das exportações do café brasileiro continua firme, mantendo os bons resultados para abril. O destaque do mês fica para o aumento das exportações para os cinco maiores países importadores, ampliando o market share do Brasil”, disse Nelson Carvalhaes, presidente do Cecafé, em nota.

“Conforme temos acompanhado desde o início do ano, tudo indica que esse ano-safra seja histórico, confirmando a eficiência com que o País atende a demanda e exigências de seus consumidores tanto no que se refere à qualidade quanto à sustentabilidade”.

Com um mercado abastecido, os preços do produto exportado pelo Brasil caíram 19,1% em abril, na comparação anual, para US$ 124,47 por saca. Apesar disso, diante do grande volume exportado, o faturamento com os embarques apresentou leve alta de 0,8%, para US$ 370,43 milhões.

Em relação às variedades embarcadas no mês, o café arábica correspondeu a 84,7% do volume total das exportações. O café solúvel representou 8,7% das exportações, com 258 mil sacas exportadas, enquanto o café conilon (robusta) atingiu a participação de 6,6%, com o embarque de 197 mil sacas.

As exportações de café arábica e conilon registraram, respectivamente, crescimento de 24,3% e 238,6% em relação a abril do ano passado. Já as exportações do café solúvel apresentaram queda de 15% na mesma base comparativa.

Levando em consideração os quatro primeiros meses deste ano (janeiro a abril), as exportações de café brasileiro foram de 13 milhões de sacas, crescimento de 26,8% em relação ao mesmo período do ano passado. A receita cambial somou US$ 1,7 bilhão, apresentando aumento de 3,5% em relação ao ano passado.

Principais compradores – Entre os dez principais destinos de café brasileiro no ano-civil (janeiro a abril) estão os Estados Unidos, que importaram 2,4 milhões de sacas de café. O segundo principal destino é a Alemanha, com 2,2 milhões de sacas importadas; já a Itália ficou em terceiro lugar, com 1,3 milhão de sacas.

Com relação às exportações de café brasileiro no ano-safra 2018/2019 (jul/18 a abr/19), o Brasil exportou até agora 34 milhões de sacas no período acumulado, aumento de 30,4% em relação à mesma base comparativa do ano anterior, quando o País embarcou 26,1 milhões de sacas.

O Cecafé disse que o volume no acumulado indica que o Brasil atingirá um recorde em 2018/19, conforme previsto pela associação em março. A expectativa era de embarques totais de quase 40 milhões de sacas no período.

O Cecafé destacou que o Brasil, na safra 2018/2019, está tendo o melhor desempenho nos embarques de café arábica dos últimos cinco anos, com 28,2 milhões de sacas. (Reuters)