CFM/Divulgação

Dados preliminares da Estatística da Produção Pecuária, divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelaram que o abate de bovinos no País totalizou 8,28 milhões de cabeças, crescimento de 3,6% entre julho e setembro de 2018, em relação ao mesmo período do ano passado. Frente ao trimestre anterior, a alta foi de 7,2%. Os dados completos da pesquisa, com informações por unidades da federação, serão divulgados em 12 de dezembro de 2018.

O resultado veio principalmente pelo aumento das exportações, como explica o gerente da Pesquisa, Bernardo Viscardi: “vemos que os preços competitivos no mercado externo impulsionaram o abate de bovinos, quando comparamos com o terceiro trimestre do ano passado”. Já em relação ao trimestre anterior, Viscardi indica que há uma recuperação dos efeitos da greve dos caminhoneiros: “Essa paralisação trouxe complicações à logística da cadeia de abate e exportações, o que colaborou para o resultado nessa comparação”.

A aquisição de leite cru feita pelos estabelecimentos que atuam sob algum tipo de inspeção sanitária (federal, estadual ou municipal), no 3º trimestre de 2018, foi de 6,30 bilhões de litros. O valor corresponde a um aumento de 15,1% em comparação ao volume registrado no segundo trimestre desse ano, dando sequência a um comportamento típico de alta entre os dois períodos, de acordo com a série histórica. A estimativa também foi 0,3% maior do que a quantidade de leite adquirida no 3° trimestre de 2017.

Couro – Os curtumes investigados pela Pesquisa Trimestral do Couro – aqueles que efetuam curtimento de pelo menos 5.000 unidades inteiras de couro cru bovino por ano – declararam ter recebido 8,93 milhões de peças inteiras de couro no 3º trimestre de 2018. Essa quantidade é 8,6% superior à registrada no trimestre imediatamente anterior e 2,2% maior que a registrada no 3º trimestre de 2017.

Frangos – O abate de frangos somou 1,42 bilhão de cabeças e, embora tenha crescido de 3,4% frente ao trimestre anterior, teve queda de 4% na comparação anual. O abate de suínos, por sua vez, totalizou 11,52 milhões de cabeças, resultado 4,4% maior frente ao mesmo período de 2017 e 6,5% superior contra o trimestre anterior. “A carne suína também vem tendo aumento considerável nas exportações, porém o volume exportado foi menor que no mesmo trimestre de 2017”, acrescenta o gerente.

Com volume estimado em mais de 911 milhões de dúzias, a produção de ovos de galinha registrou recorde em um terceiro trimestre na série histórica da pesquisa, iniciada em 1987. Frente ao trimestre anterior, houve aumento de 4,3% e, na comparação anual, o crescimento foi de 8%.