Créditos: divulgação

O Brasil começou bem o ano em termos de exportação de café. Segundo dados compilados pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), em seu relatório de exportações mais recente, o País exportou 3,28 milhões de sacas de café em janeiro deste ano, considerando a soma de café verde, solúvel e torrado e moído.

O volume no mês foi 20,8% superior ao de janeiro de 2018, quando o País havia exportado 2,72 milhões de sacas. A receita cambial também apresentou crescimento, de 0,2%, em relação ao mesmo mês do ano passado, chegando a US$ 439 milhões.

Com relação às variedades embarcadas, o café arábica representou 88,5% do volume total de café exportado em janeiro de 2019, com 2,9 milhões de sacas embarcadas, crescimento de 15,5% na comparação com janeiro de 2018.

O café solúvel representou 7,2% do volume total exportado, com 237 mil sacas, registrando incremento de 27,7%, também em relação a janeiro de 2018. O café conilon (robusta), por sua vez, representou 4,2% das exportações de café brasileiro em janeiro, com 138,5 mil sacas exportadas, aumento de 986% em relação ao ano passado.

“As exportações de café do Brasil seguem em um ritmo intenso. Registramos um recorde histórico para o mês de janeiro, confirmando as estimativas. Esse resultado é reflexo de uma boa safra e da qualidade e competência da cadeia produtiva brasileira. Nossa expectativa é de que o desempenho das exportações continuará positivo durante o restante do ano cafeeiro, atendendo com excelência os importadores e, principalmente, os consumidores finais”, disse o presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes.

Safra 2018/2019 – Com relação às exportações de café no ano-safra 2018/2019 (jul/18 a jun/19), o Brasil apresentou desempenho de 24,2 milhões de sacas no período acumulado, crescimento de 30,5% em relação à mesma base comparativa do ano anterior, quando o País embarcou 18,5 milhões de sacas, sendo o melhor resultado dos últimos cinco anos.

Principais destinos – Na lista dos dez principais destinos do café brasileiro em janeiro estão a Alemanha, que importou 662 mil sacas de café (correspondendo a 20,2% das exportações do mês); os Estados Unidos, com 605 mil sacas importadas (18,4%); e Itália, com 355 mil sacas (10,8%).

Na sequência, aparecem: Japão, com 275 mil sacas (8,4%); Bélgica, com 221 mil sacas (6,7%); França, com 110 mil sacas (3,4%); Turquia, com 106 mil sacas (3,2%); Federação Russa, com 74 mil sacas (2,3%); Reino Unido, com 64 mil sacas (1,9%); e Canadá, com 62 mil sacas (1,9%).

Em janeiro deste ano, o preço médio da saca de café foi de US$ 133,53, queda de 17% na comparação com janeiro de 2018, quando a média fora de US$ 160,95/saca. (Com informações do Cecafé).