Expectativa do setor de carnes é de que ritmo dos primeiros três meses seja mantido durante o ano - Créditos: Paulo Whitaker/Reuters

São Paulo – As exportações brasileiras de carne bovina cresceram 2,6% no primeiro trimestre, ante igual intervalo de 2018, para 405,7 mil toneladas, o melhor desempenho para o período em 12 anos, informou ontem a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec).

Em receita, as vendas no trimestre somaram US$ 1,5 bilhão, queda de 5,6% na comparação anual.

Conforme a entidade, dentre os principais países compradores, o destaque para o primeiro trimestre ficou novamente para a China, que importou 6,2% mais da proteína nacional.

“A expectativa é de que esse ritmo se mantenha nos próximos meses”, disse, em nota, o presidente da Abiec, Antônio Jorge Camardelli.

A associação destacou que o resultado positivo no acumulado do ano foi mantido mesmo com a redução nas exportações em março. No comparativo com o mesmo mês em 2018, as vendas recuaram 4,3% em volume e 10,5% em faturamento, registrando 149.734 toneladas e US$ 594,11 milhões, respectivamente.

Frango – As exportações brasileiras de carne de frango, entre in natura e processados, alcançaram 340,5 mil toneladas em março, queda de 9,5% na comparação anual, conforme dados divulgados também ontem pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

“Apesar de inferior ao mesmo período do ano passado, o volume de exportações de março é superior ao saldo de fevereiro deste ano e mostra o ritmo de crescimento das exportações mês a mês. Nesse contexto, o preço médio geral de março foi 5,5% superior ao do mesmo período do ano passado, impulsionado especialmente pelas vendas ao Oriente Médio e Ásia”, ponderou o presidente da ABPA, Francisco Turra.

Em fevereiro, o País, o maior exportador global da proteína, embarcou 316,9 mil toneladas.

Em receita, as vendas em março de carne de frango totalizaram US$ 564,8 milhões, 4,1% abaixo de igual mês de 2018.

No primeiro trimestre acumulado, as exportações somam 939,3 mil toneladas (-7,6% na comparação anual), com receita de US$ 1,54 bilhão (-3,8%).

Líder entre os importadores de carne de frango do Brasil, a China incrementou suas compras no mês de março, chegando a 41,7 mil toneladas (+2%), enquanto os Emirados Árabes Unidos também aumentaram as importações, para 36,3 mil toneladas (+23%).

“Além da consolidação da China como principal destino da carne de frango brasileira, a forte elevação das vendas para os Emirados Árabes indicam a sustentação do fluxo de produtos halal no Oriente Médio”, avaliou, em nota, o diretor-executivo da ABPA, Ricardo Santin.

O Catar também aumentou as compras em 40%, para 7,4 mil toneladas. (Reuters)