Washington – O Federal Reserve manteve a taxa de juros ontem e seus diretores abandonaram projeções de novas altas de juros para este ano, uma vez que o banco central norte-americano sinalizou uma esperada desaceleração na economia.

Em uma grande mudança em sua perspectiva, o Fed agora também espera elevar os custos de empréstimos apenas mais uma vez até 2021, e não antecipa mais a necessidade de se precaver contra a inflação com uma política monetária restritiva.

Após dois dias de reunião de política monetária que consolidou a mudança para uma postura menos agressiva, o Fed também disse que irá desacelerar a redução mensal de sua carteira de treasuries de até US$ 30 bilhões atuais para até US$ 15 bilhões a partir de maio.

O banco central norte-americano disse que encerrará a redução da carteira de títulos em setembro, desde que a economia e as condições do mercado monetário evoluam conforme o esperado.

Resgates de títulos lastreados em hipotecas serão naquele momento reinvestidos em treasuries em até US$ 20 bilhões por mês, levando o Fed em direção a uma abordagem limitada a treasuries com relação a seus ativos.

Os anúncios combinados significam que o Fed agora está dando uma pausa em ambas as frentes para se ajustar ao crescimento global mais fraco e a uma perspectiva de alguma forma mais fraca para a economia norte-americana.

Projeções econômicas atualizadas trimestralmente pelo Fed mostraram enfraquecimento em todas as frentes na comparação com as previsões de dezembro, com expectativa de que o desemprego será ligeiramente mais elevado neste ano, inflação caindo, e menor crescimento econômico também.

“O crescimento da atividade econômica desacelerou de sua taxa sólida no quarto trimestre”, disse o Fed no comunicado de política monetária que manteve a taxa de juros na faixa de 2,25% a 2,50%. (Reuters)