Créditos: Fiat Chrysler Automóveis (FCA)/Divulgação

JOSÉ OSWALDO COSTA,
de Mogi das Cruzes (SP) *

O Fiat Argo, em 2019, ocupa a 7ª colocação entre os veículos mais emplacados no Brasil. Até a última quarta-feira, o modelo contava com 19.906 unidades vendidas. No ano passado, o modelo ficou entre os 10 mais vendidos do Brasil, em 8º lugar.

Agora, a montadora italiana apresenta ao mercado nacional a chamada versão “aventureira light” do Argo, a Trekking. Com ela, a Fiat espera que o Argo figure, até o fim do ano, entre os cinco carros mais vendidos do País.
Para se tornar uma versão “aventureira”, alguns requisitos são exigidos, e o Argo Trekking apresenta todos ele. Para superar buracos, lombadas, pisos deteriorados e enfrentar uma (leve) estrada de terra, é necessário elevar a suspensão e o Argo Trekking apresenta uma altura de 210 mm em relação ao solo. Ele é 40 mm mais alto do que a versão Drive 1.3.

Dentre os concorrentes citados pelos executivos da montadora na apresentação à imprensa especializada, o Hyundai HB20X oferece 197 mm, o Renault Sandero StepWay tem 160,4 mm e o Ford Ka FreeStyle conta com 160 mm. Nesse quesito, o Chevrolet Onix Active não foi citado, mas sua altura livre do solo é de 150 mm.

Dos tais “requisitos exigidos para um aventureiro”, também estão presentes as molduras de plástico preto nas caixas das rodas e em toda a parte baixa das laterais, portas e para-choque traseiro.

Estilo – Para diferenciá-lo das outras versões do hatch, o Argo Trekking conta, ainda, com: teto, barras longitudinais do teto, aerofólio e retrovisores na cor preta; adesivo preto no centro do capô; adesivos alusivos à versão nas laterais e tampa do porta-malas; logo da Fiat na grade dianteira na cor preta; rodas em liga leve de 15 polegadas na cor cinza; pneus de uso misto e ponteira de escape com desenho esportivo.

Importante destacar que, ao lado da câmera de ré, as rodas em liga leve são os únicos opcionais para a versão.

Créditos: Fiat Chrysler Automóveis (FCA)/Divulgação

No interior, o tecido escurecido dos bancos contrasta com as costuras deles, na cor laranja e o logo da versão Trekking bordado. O símbolo da Fiat no volante também é preto, em substituição ao tradicional vermelho. As saídas do sistema de ventilação são cromadas.

De série o modelo também conta com sistema multimídia com tela sensível ao toque de 7 polegadas (com Apple CarPlay e Android Auto), vidros dianteiros e traseiros elétricos, retrovisores elétricos e faróis de neblina. Infelizmente, o modelo não conta com os controles de estabilidade e tração.

Motor e Câmbio – O Fiat Argo Trekking é equipado com o motor 1.3 Firefly. Ele apresenta 101/109 cv de potência e 13,7/14,2 kgfm de torque com gasolina e etanol, respectivamente.

De acordo com a montadora, com gasolina, ele apresenta um consumo de 12,1 km/l na cidade e 13,5 km/l na estrada. O único câmbio oferecido para a versão é o manual de 5 marchas.

O modelo chega às concessionárias da marca no fim desse mês com o preço sugerido de R$ 58,99 mil. A versão estará disponível nas cores branco Banchisa, branco Alaska, vermelho Montecarlo e cinza Silverstone.

Para fins de comparação, os preços dos seus concorrentes, na tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), são os seguintes: Ford Ka FreeStyle – R$ 65,90 mil (automático) e R$ 62,24 mil (manual); Hyundai HB20X Style – R$ 66,00 mil (automático) e R$ 60,15 mil (manual); Chevrolet Onix Active – R$ 64,95 mil (automático) e R$ 59,12 mil (manual) e Renault Sandero StepWay (manual) – R$ 60,57 mil.

*o jornalista viajou a convite da FCA (Fiat Chrysler Automóveis)