Sacioto: a Argentina ocupa o primeiro lugar na lista dos principais destinos das exportações de autopeças - Divulgação

A Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) foi palco do encontro de encerramento anual da Câmara da de Comércio e Indústria Argentina-Minas Gerais (CCAMG) no dia 12 de dezembro. A Câmara nasceu do interesse de lideranças empresariais mineiras e argentinas radicadas no Estado em criar uma associação que pudesse promover os negócios entre as empresas de Minas Gerais e da Argentina.

O presidente da Câmara, Marcos Cury, pontuou que o objetivo da associação é primeiramente estimular o desenvolvimento das relações entre mineiros e argentinos. “Temos como foco o fomento e intercâmbio, entre as pessoas, empresas e entidades, para a promoção do desenvolvimento econômico em Minas e na Argentina, além do incentivo à cooperação nas áreas de educação, tecnologia e turismo”, finalizou.

Segundo o presidente do Conselho de Política e Mercados Internacionais da Federação, Fabiano Nogueira, a Fiemg defende o fortalecimento e a integração entre as duas regiões. “A indústria mineira tem interesses variados no mercado argentino seja ela pelo fornecimento de bens e serviços, bem como por condições isonômicas de investimento no mercado dos países do Mercosul. Por isso, acreditamos que o fomento das relações e a integração do entre Brasil, Minas e Argentina é essencial”, disse.
O diretor e vice-presidente da Fiemg, Fábio Sacioto, comentou as oportunidades para indústrias no Estado. O empresário destacou como case de sucesso sobre a missão internacional feita pela indústria automotiva a Buenos Aires, no início de novembro.

Quarenta e cinco fabricantes de autopeças participaram do estande coletivo do Sindicato Nacional de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças) na Automechanika Buenos Aires. Foi a maior participação de brasileiros em feiras mundiais de autopeças com o incentivo do projeto Brasil Auto Parts – Trusted Partners, parceria do Sindipeças com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).
Além do exponencial crescimento de expositores – 165% sobre os 17 que participaram da edição anterior, em 2016 -, a expectativa de negócios nos 12 meses seguintes aumentou 171%, para US$ 12 milhões, resultado de cerca de 1.400 contatos comerciais nos quatro dias da mostra.

A Argentina ocupa há vários anos o primeiro lugar na lista dos principais destinos das exportações brasileiras de autopeças. De janeiro a setembro, os embarques para aquele país somaram US$ 1,67 bilhão, 28,4% do total exportado no período.

Certificado – Argentina e Brasil são as duas maiores economias da América do Sul e as relações comerciais entre os países são muito estreitas. O Brasil é o principal parceiro comercial da Argentina, e a Argentina é o terceiro maior parceiro comercial do Brasil.

A emissão de Certificado de Origem Digital (COD) tem avançado na Associação Latino-Americana de Integração (Aladi) e ganha força desde 2017, com pleno funcionamento no Brasil, Argentina e Uruguai. A Fiemg, por meio do Centro Internacional de Negócios (CIN), participa ativamente deste movimento, apoiando as empresas mineiras na emissão do COD.

O processo de emissão do documento na Fiemg, entidade habilitada junto ao Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), segue rígidos padrões internacionais para garantir a segurança e confiabilidade ao comércio exterior. As assinaturas digitais utilizadas no documento asseguram a autenticidade da autoria e a integridade do conteúdo. A utilização do COD também reduzirá o tempo de emissão, custos e eliminará possibilidades de falsificações existentes em documentos de papel.

Assim, através do Termo de Compromisso firmado entre Brasil e Argentina, dentro das atividades que visam à facilitação de comércio entre os dois países, o certificado de origem contendo a assinatura digital do exportador e do técnico da Fiemg responsável pela emissão do COD, passa a ser de uso obrigatório a partir de 01/01/2019, ou seja, a aceitação pelas Aduanas Argentinas da tramitação do documento de forma física (papel) será permitida somente até 31/12/2018. (Agência Fiemg de Notícias)