As chamadas indústrias madrinhas, que vão interagir constantemente com as startups, são: Companhia Energética de Minas Gerais, Gerdau e RHI Magnesita - CREDITO:ALISSON J. SILVA/Arquivo DC

Foi divulgada a lista das 50 startups que ingressarão no Fiemg Lab 4.0: um dos principais programas de aceleração de negócios de base tecnológica com soluções voltadas para a indústria (indtechs) do País. Entre as selecionadas, estão startups de oito estados, como Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina e Rio de Janeiro que atuam com tecnologias como big data, internet das coisas, computação em nuvem, biotecnologia, entre outras.

Nesta edição do programa teremos a participação também de uma startup da Carolina do Norte, nos EUA. Com sede no Centro de Inovação e Tecnologia do Senai Fiemg (CIT), em Belo Horizonte, a aceleração do Fiemg Lab 4.0 inicia em julho de 2019 e será dividida em três fases com duração total de 12 meses.

Nessa nova jornada, grandes indústrias estabeleceram o programa como uma de suas plataformas oficiais de inovação aberta com startups e irão patrocinar e participar ativamente das atividades com a disponibilização de know-how, informações estratégicas, estrutura para testes industriais e recursos financeiros.

As chamadas indústrias madrinhas são: Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), Gerdau e RHI Magnesita. Além de interagir constantemente com as indústrias-madrinhas, as startups selecionadas para o Fiemg Lab 4.0 terão acesso a mais de 15 mil outras indústrias que compõe a rede da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), já que o programa tem como premissa ser hub de inovação aberto para todas as indústrias.

Na medida em que avançarem pelas fases, as startups selecionadas também acessarão recursos de bolsas para empreendedores e de desenvolvimento tecnológico para suas soluções. O valor total acessível ultrapassa os R$ 105 mil para os que chegarem até a fase final, sem necessidade de cessão de participação (equity free). Outro grande diferencial é o fundo de R$ 240 mil gerido pelo Fiemg Lab 4.0 para realização de provas de conceito (POCs) remuneradas, que tem a finalidade de testar as tecnologias das startups em ambientes reais de operações das indústrias madrinhas para, posteriormente, efetivar uma possível contratação.