Crédito: Divulgação

O Social Bank, fintech com sede em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, empresa que permite que as pessoas realizem qualquer tipo de transação entre si a partir de uma conta de pagamento digital, acaba de anunciar a compra da Vale Presente, maior operação de gift cards personalizados da América Latina, que pertencia à HUB Fintech.

A incorporação da Vale Presente ao Social Bank impulsionará o número de transações realizadas pela Vale Presente, que tem como meta dobrar de tamanho até o segundo semestre de 2020, alcançando movimentação de R$ 600 milhões e conquistando 10 mil novos clientes-empresas. Além de oferecer mais robustez nos processos da Vale Presente, o Social Bank também planeja ampliar seu potencial de aplicação de inovações tecnológicas e usá-las na construção de soluções de negócios.

Com a aquisição, o Social Bank coloca em prática uma nova etapa de seu projeto de expansão de mercado, em paralelo às ações para ampliar os ativos e o número de produtos oferecidos. Os primeiros passos a serem executados na empresa adquirida são: resgatar seu pioneirismo – a Vale Presente foi a primeira empresa não financeira a emitir cartões no mundo -, otimizar e modernizar a experiência de presentear, e agregar valor ao atual portfólio de soluções do grupo, sobretudo para o público B2B.

Outras novidades integradas ao modelo de negócios são que os gifts poderão ser entregues também via web, através de links, por QR Code ou como um cartão virtual. Além disso, o app do Social Bank (Android e iOS) ganha um novo recurso, este com foco B2C: o Social Gift, que permitirá ao usuário enviar presentes via P2P para seus contatos.

Além de ganhar mercado e aumentar o portfólio, a compra da empresa integra a estratégia de expansão territorial do Social Bank. O programa “Social Cities”, que objetiva aumentar ainda mais a capilaridade da fintech, prevê o início da operação em 120 novas cidades estrategicamente escolhidas e, através da implantação de seus produtos e serviços, a criação de ecossistemas financeiros sustentáveis.

Comprar para crescer – A estratégia de crescer através de fusões e aquisições tem se mostrado cada vez mais eficaz e recorrente no Brasil, ainda mais em empresas de tecnologia e finanças. Relatório divulgado nesta semana pela Transactional Track Record indica que ocorreram 83 operações do gênero no mês de abril, movimentando R$ 42,6 bilhões. No acumulado de 2019, foram 344 anúncios de fusões e aquisições envolvendo empresas brasileiras, sendo ‘tecnologia e finanças’ e ‘seguros’ os dois segmentos com maior incidência de negócios deste tipo, 82 e 41, respectivamente. Para que faça sentido crescer comprando parte ou totalidade de outra empresa, é preciso que a chegada da nova operação aprimore o serviço que vem sendo realizado ou que complemente o portfólio de alguma maneira.

Alisson Idaló, diretor de estratégia e produtos do Social Bank, explica que foi justamente o potencial que a Vale Presente possui de complementar o ecossistema de produtos oferecidos pela fintech, o fator determinante para a aquisição.

“Hoje oferecemos o portfólio de produtos e serviços financeiros mais completo do mercado. Com este modelo one-stop shop, nossos clientes têm à mão todas as ferramentas e produtos que precisam para a operação, sem a necessidade de perder tempo ou dinheiro buscando soluções individualizadas no mercado”, comenta.

Para Idaló, há um grande rol de benefícios a serem gerados para toda a base de clientes do Social Bank. “A Vale Presente e seus cartões caem como uma luva na operação das grandes empresas que atendemos, que poderão utilizar o serviço para engajar e incentivar colaboradores e parceiros através de premiações”, diz.

O executivo listou alguns dos serviços oferecidos pelo ecossistema Social Bank: o Social Payroll (solução para fazer pagamentos de salários); o Social Control (para gestão de despesas e reembolsos), o Social Benefits (cartões alimentação e refeição) e a Social Pay, empresa de facilitação de pagamentos (através das maquininhas PinPad e POS) e antecipação de recebíveis, empresa que já está incorporada às operações de grandes companhias do país, como por exemplo, KFC, Pizza Hut e Taco Bell. No final do mês passado, o Social Bank lançou também a Social Coin, primeira moeda social brasileira, digital com base em blockchain, e lastreada em bens de consumo, como combustíveis e energia.

Protagonista em seu segmento – Criada em 2011, a Vale Presente se tornou a única empresa de cartões da América Latina a contar com uma operação de ponta a ponta, incluindo emissão e impressão dos cartões, personalização, administração financeira, autorização e processamento das transações. Desde o início da operação, já emitiu mais de 3 milhões de cartões e transacionou R$ 1,5 bilhão. Hoje tem 4 mil clientes na base e movimenta uma média de R$ 300 milhões por ano.

O cartão, altamente personalizável, é aceito em qualquer estabelecimento credenciado à MasterCard, o que dá segurança para quem compra e liberdade de escolha para quem recebe. Débora Sumitomo, que liderava a equipe de marketing e vendas da Vale Presente, assume o desafio no Social Bank liderando agora também, além dos gift cards, as vendas de produtos para pagamento de salários e gestão de despesas.