Grupo tem a segunda maior receita do setor no País, com R$ 4,9 bi - Créditos: Manu Dias/AGECOM

Atibaia – Não bastasse o setor atacadista e de distribuição mineiro puxar o desempenho nacional pela primeira vez em 25 anos, ultrapassando, inclusive, as empresas de São Paulo, é de Minas Gerais também o Melhor Atacadista Distribuidor em nível nacional, segundo levantamento da consultoria GFK Brasil. O Grupo Martins, sediado em Uberlândia, no Triângulo, foi eleito pela sexta vez consecutiva pelo varejo de todo País.

A premiação ocorreu em Atibaia, interior de São Paulo, durante a 39ª Convenção Anual do Canal Indireto – Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores (Abad), que vai até amanhã, 25, reunindo os gigantes do setor nacional.

O grupo também foi eleito o maior do Estado, conforme o Prêmio da Nielsen. Já no Ranking Abad/Nielsen 2019, a empresa apareceu em segundo lugar nacional, com faturamento de R$ 4,9 bilhões no ano passado, mesmo com a ligeira queda de 1,1% sobre os R$ 4,954 bilhões de 2017.

Segundo o levantamento, outros números mostram a força do Grupo Martins no interior de Minas Gerais. O segmento predominante de atuação, por exemplo, é o de varejo alimentar independente. Já a área de armazenagem total chega a 140.865 metros quadrados e o número de funcionários a 4.408. Já os vendedores somam 213 e os representantes comerciais 3.729.

Assim, de maneira detalhada, o grupo aparece em segundo lugar nacional também em termos de funcionários diretos e em primeiro em números de representantes. Aparece no topo da lista mais uma vez quando considerada a frota (990 veículos próprios).

Apoio – Outro destaque de Minas Gerais, segundo as premiações da GFK e da Nielsen, foi o DecMinas/Apoio Mineiro, do grupo Super Nosso. Conforme a GFK, a empresa foi eleita o Melhor Atacadista Distribuidor em âmbito estadual, na avaliação dos varejistas.

Em termos de faturamento, o grupo que controla as bandeiras Super Nosso, Apoio Mineiro e a distribuidora especializada DecMinas registrou incremento de 1,9% entre 2017 e 2018. No segmento atacadista, o grupo saiu de um resultado de R$ 1,628 bilhão em 2017 para R$ 1,659 bilhão no ano passado, mantendo o quinto lugar no ranking nacional. Por outro lado, caiu uma posição na lista do Estado, ficando em terceiro lugar.

O grupo destaca-se pela atuação no segmento de pessoa física, com uma área de armazenagem de 44,2 mil metros quadrados. O número de funcionários é de 2.967, os vendedores chegam a 130 e os representantes comerciais, 588.

Com isso, o Super Nosso aparece em quarto lugar nacional quando considerado o número de funcionários e também o de representantes. No segmento de atacado distribuidor, o grupo é o décimo na lista dos top 10 do País, o segundo no segmento de atacado de balcão e o sexto no de autosserviço. Informações adicionais sobre o Super Nosso estão na página 11 desta edição.

Convenção – Acontece em Atibaia, interior de São Paulo, até amanhã (25), a 39ª Convenção Anual do Canal Indireto – Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores (Abad). Com o tema “Avaliando o presente, projetando o futuro”, o evento recebe cerca de 600 altos executivos, entre representantes das grandes indústrias de bens de consumo e do setor atacadista de todo o País.

De acordo com o presidente da Abad, Emerson Destro, neste ano, a convenção abordará tópicos como economia, inovação tecnológica, logística, e-commerce, trade marketing e outros assuntos relevantes para o desenvolvimento do chamado canal indireto, além de debates sobre aspectos políticos e normativos que afetam o setor e a cadeia de abastecimento como um todo.

“Nosso objetivo principal é tornar o setor cada vez mais eficiente, rentável e competitivo, contribuindo para criar um ciclo virtuoso para a cadeia nacional de abastecimento e para o crescimento econômico do País”, resumiu.

(*) A repórter viajou a convite da Abad