São Paulo – O principal índice acionário da bolsa paulista fechou em alta de mais de 1% ontem, favorecido pelo ambiente de menor aversão ao risco no exterior, embora os negócios sigam suscetíveis a especulações ligadas ao cenário eleitoral.

O Ibovespa subiu 1,18%, a 78.388,83 pontos. O volume financeiro, contudo, somou R$ 8,5 bilhões, novamente abaixo da média diária do mês (R$ 10,8 bilhões) e do ano (R$ 11,4 bilhões). O desempenho de ontem ajudou a reduzir as perdas no mês para 1,05%. No ano, o Ibovespa acumula variação positiva de 2,6%.

Em Wall Street, os índices acionários S&P 500 e Nasdaq renovaram máximas recordes, apoiados principalmente no avanço de ações de tecnologia, mas também refletindo alívio sobre disputas comerciais envolvendo os Estados Unidos.

Dólar – A moeda americana acabou descolada do mercado externo e terminou ontem em queda ante o real, em um movimento de correção após a moeda ter superado os R$ 4,15 na máxima da sessão.

O dólar recuou 0,65%, a R$ 4,1143 na venda, depois de bater a máxima de R$ 4,1651 logo na abertura. Na mínima, a moeda foi a R$ 4,1123, perto do fechamento. O dólar futuro recuava cerca de 0,52%.

“A ausência de notícias sobre as eleições e o fato de o dólar estar esticado favoreceram o ajuste”, comentou um profissional da mesa de câmbio de uma corretora local. (Reuters)