A III Semana do Artesão Mineiro será realizada pela Superintendência de Artesanato, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, entre os próximos dias 18 e 23. A iniciativa conta com ações de cadastramento do artesão e promoção do artesanato mineiro de tradição e referência cultural.
O Mutirão de Cadastramento do Artesão, exclusivo para aqueles que participaram dos editais das Feiras Regionais de Artesanato e Alimentação da Prefeitura de Belo Horizonte, será realizado no BH Resolve, na rua dos Caetés, 342, Centro, com início às 9 horas. O artesão deverá fazer um pré-agendamento pelo telefone 3915-3098, até amanhã.

Atualmente, mais de 7 mil artesãos mineiros são cadastrados no Sistema de Informações Cadastrais do Artesanato Brasileiro. Somente neste ano, a secretaria já realizou mais de 100 cadastramentos de artesãos dos municípios de Belo Horizonte, Betim, Contagem, Igarapé e Sabará.

De acordo com o superintendente de Artesanato da Sedectes, Thiago Tomaz, o governo de Minas Gerais não mediu esforços para realizar a III Semana do Artesão Mineiro. “Nosso objetivo é valorizar os trabalhos de todo o estado, e não restritamente aos de Belo Horizonte. Fechamos parcerias com as prefeituras de Belo Horizonte, Andradas e Esmeraldas, o Centro de Artesanato Mineiro (Ceart-MG), a Federação de Artesanato de Minas Gerais (FAM) e Raízes Desenvolvimento Sustentável, que foram fundamentais para a realização deste evento”, pontua.

Em homenagem aos artesãos dos municípios de Turmalina, Caraí, Ponto dos Volantes e Minas Novas, no próximo dia 19, começa a exposição comemorativa do Dia do Artesão, “Cerâmica do Jequitinhonha”. Instalada no Espaço do Artista Popular de Minas Gerais, no Centro de Artesanato Mineiro, a exposição contempla peças de cerâmica, que poderão ser comercializadas na durante o período da mostra, até o dia 21 de abril.

A exposição “Cerâmica do Jequitinhonha” celebra o Dia do Artesão em Minas Gerais e também encerra uma série de mostras apresentadas pelo Centro de Artesanato Mineiro, tendo a cerâmica como tema.
A produção da cerâmica do Jequitinhonha, uma das mais importantes técnicas de artesanato de tradição do país, teve seu destaque nacional e internacional com as bonecas de Dona Isabel, de Santana do Araçuaí, localização rica em barro de qualidade e de colorações variadas, modeladas a partir de técnicas tradicionais.

Atualmente, as ceramistas do Vale do Jequitinhonha continuam produzindo belíssimas bonecas, mas também uma grande diversidade de objetos utilitários e decorativos como galinhas, flores, jarros, panelas, moringas, vasos, saladeiras e potes.

Além desta produção em cerâmica figurativa com grafismos abstratos, com cores retiradas dos diversos tipos de argila encontrados na região, nas tonalidades ocres, rosados e brancos, ainda existem outros temas de produção da cerâmica como o cotidiano e o fabuloso, com suas formas ora mais realistas, ora mais expressivas.

A exposição “Cerâmica do Jequitinhonha” homenageia as associações dos Lavradores e Artesãos de Campo Alegre, dos artesãos de Coqueiro Campo, de Santo Antônio do Caraí, de Santana do Araçuaí, e de Cachoeira do Fanado, por meio da parceria com o Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e do Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene).