Preços dos grupos Alimentação e Bebidas, Transportes e Despesas Pessoais aumentaram acima da média em outubro - Marcelo Camargo/Agência Brasil

Pressionada por alimentos e transportes, a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou variação positiva de 0,41% na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) no mês de outubro.

Os dados divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que o índice para a RMBH teve a quarta menor variação entre as áreas pesquisadas e os grupos Alimentação e Bebidas (1,02%), Transportes (0,65%) e Despesas Pessoais (0,45%) apresentaram variações acima da média no período.

Com aumento de 84,47% no preço, o tomate causou um impacto mensal de 0,11 p.p. no índice geral. Também no grupo Alimentação e bebidas, responsável pela maior variação positiva no mês, as elevações mais significativas foram do repolho (17,42%) e da maçã (11,13%).

A passagem aérea foi o subitem com maior acréscimo no grupo Transportes em outubro, com elevação de 11,12%, enquanto a gasolina registrou aumento de 1,26% com impacto de 0,07 p.p no índice geral do mês.

Na RMBH houve deflação em apenas dois grupos, Habitação com queda de -0,32% e Comunicação com redução de -0,06%. O destaque foi energia elétrica residencial, que apresentou variação negativa de 2,32% e o maior impacto negativo do mês entre todos os subitens, de -0,09 p.p.

Leia também:

IPCA avança 0,45% no último mês

IGP-DI perde força e sobe 0,26%

Acumulado – Em outubro deste ano a variação acumulada em 12 meses foi de 4,34% na RMBH, o sexto maior resultado entre as áreas de abrangência da pesquisa do IBGE. No mesmo mês em 2017, a variação nessa base comparativa foi de 2,19%.

Para o coordenador da pesquisa, Venâncio Otávio Araújo Da Mata, o contraste entre os resultados acumulados ainda é reflexo dos impactos causados pela paralisação nacional dos caminhoneiros.

“Essa diferença em relação ao ano passado se deve ao pico que houve em junho de 2018, quando o aumento foi de 1,86%. Essa variação aconteceu como resultado da greve dos caminhoneiros e impactou o resultado acumulado”, afirmou.

Ipead – Nesta semana, a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais (Ipead) divulgou que o IPCA de Belo Horizonte atingiu 0,29% em outubro. No acumulado do ano, o índice atingiu 4,49%, ou seja, está praticamente no centro da meta. Nos últimos 12 meses, a inflação acumulada é de 5,25%.