Aumento nas vendas é questão de tempo, aposta Zamana - Foto: Marcelo Zamana/Divulgação

Para a franquia Padaria Pet, que inova com produtos de petiscaria e confeitaria para cães e gatos, o ano de 2018 significou “desbravamento do mercado mineiro”. A primeira loja da marca no Estado foi inaugurada no bairro Buritis, na região Oeste de Belo Horizonte, em janeiro, e a expectativa é de que a operação encerre o ano com 55% de crescimento no faturamento.

O proprietário da loja, Marcelo Zamana, afirma que esperava desempenho um pouco melhor nas vendas, mas ele acredita que a melhoria nos resultados é questão de tempo, pois a cultura de uma padaria para pets ainda está sendo construída no Estado.

A franquia tem sede em São Paulo, onde, segundo Zamana, a ideia de oferecer sobremesas, petiscos e até bolo de aniversário para cães e gatos não é mais novidade.

“Nos Estados Unidos essa também é uma cultura consolidada, mas em Minas Gerais encontramos um pouco de resistência. As pessoas ainda acham estranho comprar sorvete ou cerveja para o cachorro ou o gato”, afirma. Por causa disso, o desempenho da operação em 2018 foi sustentado, principalmente, pelo movimento da área de banho, tosa e hidratação de pets, que é o serviço mais conhecido nesse segmento.

“Durante todo o ano, crescemos 55% em faturamento, o que é uma boa notícia. Eu esperava vender um pouco mais do meu portfólio de produtos, mas considerando que estamos em um mercado em que somos novidade e que precisamos mudar paradigmas, no final das contas é um resultado bem razoável”, analisa. Para o empresário, o aumento nas vendas “é questão de tempo” em Minas Gerais. Ele acredita que a tendência de as famílias adotarem pets como filhos é uma realidade sem volta e, por isso, haverá lugar garantido para a Padaria Pet.

A impressão de Zamana é amparada por dados do setor. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação, o mercado pet brasileiro faturou R$ 20,3 bilhões em 2017, sendo que o segmento pet food é responsável por 68,6% desse mercado. Segundo o IBGE, o Estado é o campeão no Brasil em número de lares com cães domésticos: cerca de 46,7% dos domicílios mineiros convivem com animais de estimação.
“Vivemos uma era de humanização dos pets. Eles deixaram de ser o animal de guarda da casa, que ficava no quintal e entraram para as residências, sendo tratados como um dos membros da família”, diz. Humanização essa que fez a franquia construir um verdadeiro cardápio para os pets, que inclui desde os tradicionais petiscos até sobremesas como gelatina, docinhos e muffins, além de bebidas como cerveja e café. A operação ainda oferece banho, tosa, hidratação e um salão de festas para aniversários dos pets.

O empresário acredita que 2018 foi um ano importante para desbravar o mercado mineiro e, a partir de agora, ele espera crescer com velocidade mais alta. Atualmente, a Padaria Pet BH recebe cerca de 300 clientes por mês. Os donos de pets gastam entre R$ 9 e R$ 11 com produtos de alimentação e cerca de R$ 50 a R$ 60 na área de boutique, que inclui produtos como caminha, sofá e coleiras. Já o tíquete médio dos serviços é de R$ 39. Para 2019, a expectativa é de 100% de crescimento no faturamento em relação a 2018.