Com a melhoria nas perspectivas da economia neste ano, empresas começam a procurar Itajubá com o objetivo de se instalarem no município - Secom/Divulgação

Ao contrário do exercício passado, 2019 promete ser um ano promissor para Itajubá, no Sul de Minas. De acordo com o prefeito Rodrigo Riera (PMDB), além das expectativas quanto às mudanças propostas pelos novos governos federal e estadual, que prometem alavancar a economia, algumas empresas já começam a procurar o município a fim de se instalarem na cidade, enquanto outras terão suas operações iniciadas já nos próximos meses.

Entre os projetos, o representante do Executivo citou a expansão da Cabelauto, pertencente ao grupo espanhol Plasinco, líder na fabricação de produção de cabos automotivos e elétricos na América latina, que vai inaugurar em março mais uma empresa em Itajubá. O prefeito destaca também a chegada de uma indústria de placas eletrônicas de informática, que formalizou a instalação no município em novembro passado, com a intenção de gerar 200 empregos.

“Estes são apenas alguns exemplos do que temos previsto para 2019. Estamos otimistas com o ano que se inicia, principalmente em função das propostas dos novos governos. Em Minas, em especial, acreditamos que Romeu Zema (Novo) vai resgatar a segurança jurídica e desburocratizar os processos para quem deseja investir no Estado”, afirmou Riera, sem, no entanto, detalhar os aportes.

Com isso, conforme o prefeito, as empresas já voltaram a procurar o município para se instalarem na região. Neste sentido, há negócios avançados com uma indústria de rodas de veículos automotivos de pequeno, médio e grande portes e outra, de origem italiana, voltada para a produção de tetos solares para veículos.

Além disso, segundo Riera, mais uma importante fase do parque tecnológico da cidade promete avançar no decorrer deste exercício, com a instalação de mais dois laboratórios. “Grande parte do loteamento, infraestrutura e prédios serão entregues em 2019. Diante desta perspectiva, um laboratório de alta tensão já está confirmado para se instalar no empreendimento, enquanto negociamos com outro voltado para testes de gases de águas profundas da Petrobras”, revelou.

No caso dos laboratórios, os investimentos são robustos. O primeiro, que se trata do Laboratório de Alta Potência do Instituto Senai de Inovação em Sistemas Elétricos, prevê um aporte total de R$ 425 milhões, sendo o pioneiro na região em pesquisa e desenvolvimento de novos equipamentos e sistemas do setor. O segundo poderá chegar a US$ 100 milhões.

O otimismo e os projetos vêm após um ano bem difícil para Itajubá. Segundo o prefeito, além de uma dívida de mais de R$ 40 milhões, o antigo governo de Minas Gerais prejudicou o desenvolvimento do município por meio de decisões políticas.

Aeroporto – “O maior exemplo foi a paralisação das obras de implantação do aeroporto de Itajubá, logo no início do governo de Fernando Pimentel (PT). Um empreendimento financiado pelo governo federal, via BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), que o governo estadual suspendeu por questões políticas, afugentando milhares de investimentos da cidade”, disse.

A expectativa, conforme Riera, é que a nova administração retome os trabalhos. Ou devolva o projeto para a União concluir os aportes. “São necessários poucos meses para finalizar a obra”, completou.

A construção do aeroporto de Itajubá começou em 2013 e foi paralisada meses depois, tendo sido retomada em 2014. Estão previstas as implantações de pátio de aeronaves, pista de pouso e decolagem, terminal de passageiros, seção de salvamento e combate a incêndio, sinalização luminosa de pista e obstáculos. O custo total da obra é estimado em R$ 70,6 milhões e tinha conclusão prevista para 2018.