Bolsonaro recebeu carta dos governadores durante a reunião - Crédito: Tomaz Silva - ABr

Brasília – Em um encontro com governadores e presidentes da Câmara e do Senado, o presidente Jair Bolsonaro disse na manhã de ontem que todos estão “no mesmo barco”, mas a união e foco de todos no que interessa será capaz de fazer o País superar a situação por que passa.

“Estamos no mesmo barco e o mar não é de almirante, mas, se nós juntos dermos as mãos e focarmos no que realmente interessa ao nosso povo e nosso Brasil, nós podemos sair dessa situação que nos encontramos”, disse ele, em reunião na residência oficial do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Governadores estão em Brasília em busca de um acordo com o governo federal de um novo pacto federativo e entregaram ao presidente uma carta com seis itens. O principal deles é a implementação imediata um plano de recuperação fiscal para os entes regionais, o chamado Plano Mansueto.

Por outro lado, o governo Bolsonaro tenta contar com o apoio dos governadores para assegurar votos das bancadas estaduais a fim de aprovar a reforma da Previdência, que ontem teve o ministro da Economia, Paulo Guedes, em audiência na comissão especial da Câmara sobre o tema.

No vídeo divulgado com uma fala que fez aos governadores e aos presentes ao encontro, Bolsonaro não falou diretamente sobre a Previdência. Ele disse que o governo quer diálogo e solucionar problemas e que o Executivo está aberto aos governadores, destacando que alguns problemas são comuns entre os entes federativos e outros não.

O presidente destacou mais uma vez que é importante melhorar o ambiente econômico para investir no país.

“Temos que facilitar a vida de quem quer produzir e de quem tem coragem ainda de investir no Brasil, que é um esporte de altíssimo risco, dada a situação que nos encontramos”, disse.

Anfitrião do encontro, Alcolumbre defendeu que é importante buscar convergência nas propostas que todos estão passando, mas destacou como prioridade a aprovação da Previdência.

“Teremos hoje uma manhã de trabalho aqui para conversar francamente e buscar o entendimento e a convergência em torno das propostas e dentre elas a mais importante hoje para o Brasil, não é para o governo, para o Brasil, é a reforma da Previdência”, disse.

Maia – A reforma da Previdência precisa resolver não só o problema previdenciário da União, mas também dos Estados, caso contrário o paciente seguirá doente, disse o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pouco antes de o ministro da Economia, Paulo Guedes, participar de audiência na comissão especial que analisa a proposta.

“Se você resolve só a União, o paciente continua doente. Ou você resolve o sistema inteiro ou você vai resolver parte do problema e vai continuar sendo contaminado pela outra parte que ainda está doente”, afirmou ao chegar à comissão com Guedes.

Em entrevista a jornalistas antes da audiência, Maia também afirmou que a participação do presidente Jair Bolsonaro na defesa da reforma é importante, assim como voltou a destacar a importância da aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que muda as regras de acesso a aposentadorias. (Reuters)