Foto: Divulgação

São Paulo – O jornalista Ricardo Boechat, de 66 anos, morreu na queda de um helicóptero no início da tarde ontem em um dos acessos da Rodovia Anhanguera, que liga a capital paulista, ao interior. Segundo o Corpo de Bombeiros, o piloto da aeronave também morreu carbonizado. Boechat era apresentador do `”Jornal da Band” e da rádio BandNews FM e tinha uma coluna semanal na revista “Isto É”. O motorista de um caminhão atingido no acidente foi resgatado pelo serviço da concessionária que administra a via.

Boechat trabalhou nos jornais “O Globo”, “O Dia”, “O Estado de S. Paulo” e “Jornal do Brasil”. Na década de 1990, foi colunista no “Bom Dia Brasil”, na TV Globo, além de participar do “Jornal da Globo”. Foi também diretor de jornalismo da Band e teve passagem pelo SBT. Ele ganhou três vezes o Prêmio Esso, um dos principais do jornalismo brasileiro.

Filho de diplomata, Ricardo Eugênio Boechat nasceu em 13 de julho de 1952, em Buenos Aires. O pai estava a serviço do Ministério das Relações Exteriores na Argentina. O jornalista deixa a mulher, Veruska, e seis filhos.
O presidente Jair Bolsonaro lamentou a morte do jornalista Ricardo Boechat. Por meio de seu perfil na rede social Twitter, Bolsonaro escreveu: “É com pesar que recebo a triste notícia do falecimento do jornalista Ricardo Boechat, que estava no helicóptero que caiu hoje (ontem) em SP. Minha solidariedade à família do profissional e colega que sempre tive muito respeito, bem como do piloto. Que Deus console a todos!”.

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, escreveu em seu Twitter “manifesto meus sentimentos às famílias de Ricardo Boechat e do piloto do helicóptero, aos profissionais da Rede Bandeirantes, rádio e televisão, extensivos à classe jornalística, pela triste notícia do acidente que os vitimou. Deus no comando.”

Também lamentaram a morte de Boechat pelas redes sociais e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. 
O Palácio do Planalto divulgou ontem uma nota oficial sobre o falecimento do jornalista. “A Presidência da República expressa seu pesar e condolências em razão do falecimento do jornalista Ricardo Boechat, vitimado em um acidente aéreo neste dia. O País perde um dos principais profissionais da imprensa brasileira. Sentiremos a falta de seu destacado trabalho na informação da população, tendo exercido sua atividade por mais de quatro décadas com dedicação e zelo”. A nota foi assinada pelo presidente Jair Bolsonaro.

O governador Romeu Zema, recebeu com pesar a notícia da morte do jornalista Ricardo Boechat, na tarde de ontem, vítima de acidente com um helicóptero em São Paulo.

Logo após ser eleito, Zema fora entrevistado pelo jornalista no programa “Canal Livre”, da Band, em novembro de 2018. “Admirador da exemplar carreira de Boechat, Romeu Zema se solidariza com os familiares, amigos e colegas de trabalho do jornalista e lamenta essa perda para a imprensa brasileira”, afirma nota divulgada pela Central de Imprensa do governo de Minas. (ABr).