Eliane Gouveia/Divulgação

O Santuário de Bom Jesus de Matosinhos – em cujo adro estão os 12 Profetas esculpidos por Aleijadinho, elevados a Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco -, em Congonhas, no Campo das Vertentes, espera receber milhares de peregrinos entre os dias 7 e 14. Esses fiéis estarão em busca de renovar as esperanças e os votos por dias melhores, durante o Jubileu de Congonhas. Para celebrar os 261 anos da festa popular, o Museu de Congonhas preparou uma programação repleta de atrações. Até o dia 23, coincidindo com o período de recepção a romeiros, a visitação ao museu e a programação serão gratuitas.

Na quarta-feira (12) o Museu de Congonhas recebe a tradicional Roda de Violeiros. Dezenas de músicos se encontrarão, a partir das 20h, no anfiteatro do Centro Cultural, para cantar a fé e confraternizar com os romeiros. Já no dia 13, será a vez de a instituição receber a dupla de sertanejo católico Álvaro e Daniel, no mesmo horário.

Várias missas serão celebradas no santuário. Na sexta-feira (7) as celebrações acontecerão às 7h, 10h, 11h, 15h (abertura oficial pelo arcebispo de Mariana, Dom Airton José dos Santos) e às 18h. Já entre os dias 8 e 13, as missas serão realizadas às 6h, 8h, 10h, 15h e às 18h. E no dia 14 haverá missas às 6h, 8h, 10h, 15h.

Como o período do jubileu coincide com a agenda nacional da 12ª Primavera de Museus, que neste ano tem como tema Educação em Museus – Vida em Sociedade, a importância da memória e o valor do patrimônio cultural musealizado, o Museu de Congonhas oferecerá outras experiências aos visitantes. Serão realizadas, nos dias 17, 18 e 19, as atividades: “Adolescentes on-line: Qualidade de vida e uso das redes sociais”, “Abertura da série – #PreconceitosPQ?” e “Ilustrando a história”.

Encontro musical – A festa no museu terá ainda um grande encontro musical. O Centro Cultural receberá o integrante da banda Titãs Tony Bellotto, na quinta-feira (20), às 20h, no projeto Poesia e Música no Museu. Tony Bellotto é músico, guitarrista dos Titãs desde sua formação, em 1982, com o qual já lançou 23 discos. Ele é também escritor. Publicou nove livros e, na ocasião, lançará nacionalmente sua décima obra, “Lô”, em Congonhas.

O Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matozinhos teve início em 1780. Pela ladeira histórica atravessam peregrinos de todos os cantos do Brasil, em busca de graças ou para agradecer por tê-las alcançado, fazendo de Congonhas uma cidade marcada por histórias de fé e devoção.