O terreno de 6,1 mil metros quadrados fica conjugado ao prédio da prefeitura, no centro de Juiz de Fora - Divulgação

A Prefeitura de Juiz de Fora, na Zona da Mata, dará, neste início de ano, um impulso no processo de concessão que pode viabilizar a construção do edifício-garagem e centro de compras, na região central da cidade, cujo investimento previsto é de R$ 45 milhões, e também de finalização e gestão do complexo esportivo. Após lançar, em dezembro, os primeiros editais de Procedimentos de Manifestação de Interesse (PMIs), elaborados com apoio do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), a administração municipal se prepara para realizar, no fim deste mês, as sessões públicas onde serão dadas informações sobre o processo.

A secretária municipal de Administração e Recursos Humanos, Andréia Goreske, informa que já foi possível perceber que há interesse nos projetos, devido à procura por informações. No caso da proposta do edifício-garagem, a sessão pública será realizada em 29 de janeiro. Segundo Andréia Goreske, a proposta da prefeitura prevê a construção do edifício-garagem, mas pode ser alterada.

Ela explica que com o PMI em aberto prevê que sejam apresentadas propostas para utilização de terreno de 6,1 mil metros quadrados que fica conjugado ao prédio da prefeitura, no centro de Juiz de Fora. A administração municipal já tem o projeto para que no local seja construído um edifício-garagem de dez andares com 1.020 vagas. No local também seria instalado um centro de compras, com lojas de conveniência, entre outras. Este projeto prevê investimento pela iniciativa privada de R$ 45 milhões e, como contrapartida, a prefeitura entra com o terreno. Mas nada impede que os interessados alterem o projeto ou façam proposta de outros usos para o espaço.

Andréia Goreske informa que a área onde está localizada a prefeitura está passando por uma mudança que valoriza toda a região. Nas proximidades da sede municipal já estão instalados a Justiça Federal e o Ministério Público, sendo que o Fórum também ficará na região. Todos esses equipamentos foram construídos em terrenos doados pela prefeitura. As alterações revitalizaram a região e a administração busca agora o uso para o terreno que fica exatamente ao lado da sede municipal.

Modelo – Inicialmente, a proposta é que seja realizada uma concessão pública com prazo de 30 anos, mas o modelo só será definido ao final do processo. Segundo a secretária, a intenção é que o valor arrecadado pela prefeitura com a operação seja destinado ao fundo de previdência do município.

Já a sessão pública referente ao complexo esportivo será realizada em 30 de janeiro. O complexo é formado pelo Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, pelo Ginásio Poliesportivo Jornalista Antônio Marcos – ainda em construção e previsto para ser finalizado neste ano – e um estacionamento.

O secretário de Planejamento e Gestão de Juiz de Fora, Lúcio Sá Fortes, explica que o PMI foi desenvolvido com o apoio do BDMG por meio de projeto que oferece a municípios assessoramento técnico para projetos de concessões. Ele ressalta que as definições sobre os modelos de parceria com a iniciativa privada e também sobre qual o melhor projeto a ser desenvolvido só virão após todo o processo. “Estamos começando um caminho longo. As empresas e demais interessados podem se habilitar para apresentar ideia e projetos”, destataca. Segundo o secretário, o modelo é uma alternativa para viabilizar projetos num momento de dificuldades pelo qual o país ainda passado.

A prefeitura também busca parceria para a operação do Aeroporto Francisco Álvares de Assis, conhecido como Aeroporto da Serrinha. Entretanto, devido à complexidade da operação, que envolve outros órgãos, o processo ainda não foi aberto.