Brasília – A futura ministra da Agricultura, Tereza Cristina (DEM-MS), afirmou ontem que haverá uma Secretaria de Assuntos Fundiários que ficará subordinada a seu comando no governo de Jair Bolsonaro (PSL).

A declaração foi dada após ela ter sido questionada por jornalistas se o novo governo contaria com uma Secretaria de Reforma Agrária.

No governo atual, há uma Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário, que tem como competências a reforma agrária e a promoção do segmento rural constituído por agricultores familiares. Além disso, o órgão atua em questões relativas à regularização fundiária na Amazônia.

O produtor rural Luiz Antonio Nabhan Garcia, presidente da União Democrática Ruralista (UDR), ocuparia a Secretaria de Assuntos Fundiários, segundo reportagem de O Globo dessa quinta-feira. Em entrevista ao jornal, ele disse que o órgão teria status de ministério.

Garcia, que chegou a ser cotado para ser ministro da Agricultura, disse anteriormente que seria necessário acabar com o que chamou de “indústria da multa” do Meio Ambiente.

Tereza Cristina falou rápido com jornalistas e não chegou a comentar quem ocuparia o cargo na nova secretaria. (Reuters)