São quatro rótulos produzidos em Pitangui, na região Centro-Oeste de Minas - Foto: ©2018 Nereu Jr

De tanto ouvir os clientes pedindo as receitas ou reclamando por não poder levar pra casa mais um pouco de tudo que experimentaram à mesa, o empresário Ricardo Rodrigues, proprietário do tradicional restaurante de comida mineira Maria das Tranças, resolveu lançar uma linha de produtos com a marca do restaurante.

O primeiro, lançado no final de novembro, foi a cachaça. São quatro rótulos produzidos em Pitangui, na região Centro-Oeste de Minas – uma das principais regiões de fabricação de cachaça do Estado. Os clientes do Maria das Tranças vão poder escolher entre a Prata (pura) e as envelhecidas em Amburana, Carvalho Francês e Bálsamo.

“Escolhemos um produto que representa Minas só pela menção do seu nome. Quanto ao parceiro, nada mais representativo. A Fazenda Santo Antônio das Pitangueiras tem mais de 300 anos e fabrica cachaças premiadas nacionalmente. A nossa produção é exclusiva e já estamos preparados para aumentá-la, já que o nosso plano é também exportar para a Europa e os Estados Unidos” anuncia Rodrigues.

Depois da cachaça, serão lançados o molho de pimenta, o tempero e o pão de queijo com as receitas originais utilizadas nas duas unidades do Maria das Tranças – São Francisco (Pampulha) e Savassi (Centro-Sul) – e de fabricação própria. Logo depois será a vez do doce de leite. A previsão é que todos os produtos dessa primeira fase estejam à disposição dos consumidores nos restaurantes e também em bares e supermercados de Belo Horizonte até março. O investimento total no projeto foi de R$ 40 mil.

Leia também:

Babuxca cresce 500% em dois anos

“As pessoas chegavam aqui e falavam ‘esse tempero de vocês é muito bom’ ou ‘essa cachaça é gostosa demais’. Vimos aí a oportunidade de oferecer produtos que levam nossa marca e, principalmente, a nossa tradição de produtos de qualidade superior. Investimos para tornar as nossas receitas apresentáveis de maneira comercial, estudando a questão das embalagens, da apresentação”, pontua o empresário.

A expectativa é de que os produtos, além de incrementar a cozinha dos frequentadores do Maria das Tranças, estendendo o sabor do restaurante para o dia a dia das famílias, se transformem também em itens presenteáveis.

“A gastronomia passa por um grande momento de revalorização no mundo todo e Minas Gerais é o único estado brasileiro que a enxerga como cultura. Todo esse movimento que inclui estabelecimentos, profissionais, empresários, feiras, festivais e governo é benéfico para toda a cadeia produtiva. Participamos de tudo isso e o importante é sempre ouvir o cliente para hoje sermos melhores que ontem e amanhã melhores que hoje”, conclui.