Brasília – Usuários de telefones fixos e móveis no Brasil realizaram 47,51 milhões de trocas de operadoras entre setembro de 2008, quando a portabilidade numérica passou a existir, e 31 de dezembro de 2018. A informação, divulgada esta semana, consta do balanço anual da ABR Telecom (Associação Brasileira de Recursos em Telecomunicações), entidade administradora da portabilidade numérica.

No balanço integral desses 10 anos de existência do serviço, foram registradas 15,56 milhões (33%) de transferências entre operadoras de telefonia fixa, com a manutenção do número do telefone por seus usuários. Os portadores de telefones móveis, no entanto, fizeram 31,95 milhões (67%) de migrações no mesmo período.

Um recorte entre os meses de janeiro e dezembro do ano de 2018, mostra que foram efetivadas 6,68 milhões de trocas considerando operadoras fixas e móveis, de acordo com a Entidade Administradora da Portabilidade Numérica. A ABR Telecom registra que daquelas, 1,41 milhão (21%) de transferências foram solicitadas por usuários de telefones fixos e 5,27 milhões (79%) de telefones móveis.

Durante o quarto trimestre de 2018 – de outubro a dezembro -, em todo o território nacional, 1,85 milhão de portabilidades numéricas foram concluídas. As solicitações para transferências de operadoras de telefones fixos respondem por 356 mil (19%) e as trocas no serviço móvel por 1,50 milhão (81%).

Minas – No Estado, desde que a portabilidade numérica foi implementada, a partir de setembro de 2008, até o dia 31 de dezembro de 2018, foram realizadas 5,01 milhões de transferências entre operadoras. Dessas, 1,38 milhão (28%) para usuários de telefones fixos e 3,63 milhões (72%) de telefones móveis.

No período de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2018, foram registradas 695,36 mil migrações em Minas Gerais, sendo 139,02 mil (20%) na telefonia fixa e 556,33 mil (80%) na móvel.

No trimestre, entre outubro e dezembro de 2018, foram realizadas 175,69 mil migrações entre operadoras de serviços telefônicos em Minas. As solicitações de usuários de telefones fixos, nessas transferências, respondem por 30,37mil (17%) migrações e as demandas realizadas no serviço móvel por 145,32 mil (83%).