Crédito: Ivan Bueno/ AG. Paraná

As exportações do agronegócio mineiro alcançaram US$ 2,34 bilhões no primeiro quadrimestre do ano e registraram retração de 1,6% frente ao mesmo período do ano passado. Em relação ao volume total negociado, foram destinadas ao mercado externo 2,4 milhões de toneladas, o que representou uma queda de 11,9%. No intervalo, os embarques do agronegócio responderam por 30,8% de toda a pauta mineira comercializada. As informações são da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

O preço médio pago pela tonelada de produtos agropecuários no período ficou em US$ 953,42, recuo de 11,63%.

Dentre os produtos, o café, que responde por 52,9% das exportações do agronegócio, apresentou alta de 19,6% no faturamento dos embarques, fechando o período em US$ 1,24 bilhão, ante os US$ 1,03 bilhão registrados em igual período de 2018. Em volume, foi verificada elevação de 42,4% e exportadas 556,3 mil toneladas do grão.

O aumento do volume foi importante para manter o faturamento com os embarques de café em alta, uma vez que foi verificada queda nos preços da tonelada. Enquanto, entre janeiro e abril de 2018, a tonelada do café era negociada a US$ 2.656,76, em igual período deste ano o valor caiu 15,9%, encerrando o intervalo em US$ 2.232,25.

O grupo da soja, que responde por 13,1% dos embarques do setor, encerrou os primeiros quatro meses com queda. De acordo com os dados da Seapa, foram destinados ao mercado internacional 804,4 mil toneladas de produtos do complexo soja, retração de 32,9%. O faturamento ficou em US$ 306,5 milhões, queda expressiva de 37,2%.

A soja em grãos movimentou US$ 267,2 milhões com a exportação de 735,1 mil toneladas, variação positiva de 38,3% e 33%, respectivamente. As exportações de farelo de soja, produto que tem maior valor agregado, somaram 66,9 mil toneladas, queda de 33,3%. O faturamento retraiu 29,9% e encerrou o período em US$ 37,7 milhões.

Carnes – No grupo das carnes, foi verificada alta de 11,4% no faturamento, que somou US$ 268,3 milhões. Entre janeiro e abril, os embarques de carnes somaram 94,4 mil toneladas, elevação de 8,6%. O preço pago pela tonelada subiu de US$ 2.769 para US$ 2.841, valor 2,6% superior. O grupo é responsável por 11,4% das exportações do agronegócio de Minas.

Dentre os produtos do grupo das carnes, destaque para a carne bovina, cujo faturamento das exportações chegou a US$ 191,1 milhões, aumento de 19,1%. Em volume, foi verificada elevação de 21,1%, com o embarque de 47,3 mil toneladas.

Os embarques de carne de frango subiram 7,7%, com faturamento de US$ 65,9 milhões. Ao todo, foram destinadas ao mercado externo 41,4 mil toneladas, volume 6,7% menor.

Queda foi verificada nos resultados da carne suína. A movimentação financeira foi 41,1% menor, somando US$ 6,1 milhões. O volume embarcado retraiu 31% e encerrou o quadrimestre em 3,9 mil toneladas.

As exportações do setor sucroalcooleiro diminuíram 35,4% em faturamento, encerrando o primeiro quadrimestre em US$ 134,5 milhões. Em volume, a queda foi de 21,3%, com a exportação de 479,4 mil toneladas.