O Seed investiu, até o momento, R$ 20,9 milhões em cinco rodadas de aceleração - Divulgação

Minas Gerais, com destaque para Belo Horizonte, reúne diversos casos de sucesso de startups que passaram pelas rodadas de aceleração do Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development (Seed). Considerado um dos maiores da América Latina, o programa do governo mineiro foi criado para fomentar negócios de tecnologia e inovação no Estado. Ideias gestadas neste ambiente criaram musculatura, alcançaram êxito e crescimento em ritmo forte.

Diante da avalanche de informações que todos os dias invadem a internet, abriu-se espaço para o surgimento de startups que simplificam a vida do cidadão no momento de comparar e adquirir algo disponível no mercado. De olho nesse segmento, o Seed investiu, até o momento, R$ 20,9 milhões em cinco rodadas de aceleração de novos empreendimentos.

Com esses estímulos, Minas Gerais se transformou em polo de inovação e celeiro de startups para atender a um mercado de consumo sem limite de crescimento, com a oferta diária de novos produtos e serviços. Entre as centenas que se sobressaem e crescem oferecendo negócios ancorados na tecnologia, algumas despontam como exemplos bem-sucedidos do Seed.

Leia também:

Governo quer inserir MG no modal dos avanços tecnológicos

Telefonia – A startup Melhor Plano é uma delas. Surgiu em 2015 para ajudar o consumidor a economizar nas suas contas de telefonia fixa e celular. Agora, já se prepara a expansão dos seus serviços para planos de saúde, cartão de crédito, contas bancárias, consórcios, entre outros.

Segundo o sócio-fundador, Pedro Israel, o público-alvo é abrangente e, por isso, ele acredita que há espaço para crescer. Ao mesmo tempo, espera ver um dia todos os consumidores inquietos com as contas por acharem caras e, a partir daí, procurar o Melhor Plano para buscar algo mais barato.

O empreendedor relata que a ideia nasceu de uma necessidade familiar – sua e do seu sócio, Felipe Byrro -, de buscar redução de preço e melhoria no serviço de telefonia celular, uma realidade de muitas famílias no País. A partir daí, os dois desenvolveram o projeto e o apresentaram na Startup Chile, onde foi desenvolvida a primeira versão do Melhor Plano.
Em 2016, os empreendedores participaram da rodada de aceleração do Seed, que ajudou na visibilidade e credibilidade das soluções tecnológicas oferecidas.

“Foi um período muito especial, crescemos três vezes em seis meses, nos envolvemos com a comunidade e fizemos parcerias com outras startups, entre elas a Monetus, com a qual dividimos experiências e o andar do prédio onde estamos instalados. A ajuda financeira do governo estadual nos permitiu crescer o time e arriscar mais”, ressalta Pedro Israel.

Com concorrentes no mercado, a empresa mineira lidera esse trabalho de comparação de preços, oferecendo, com tecnologia, a simplificação no processo de escolha para o consumidor.

“Cerca de 500 mil pessoas consultam a plataforma melhorplano.net todos os meses. Nosso modelo de negócio é ajudar o usuário a encontrar algo melhor, uma vez que ele escolhe o plano na nossa plataforma. Lá, colocamos as duas partes em contato e o parceiro finaliza o processo com o cliente. A nossa receita é gerada com essas parcerias”, observa Pedro Israel.

Hoje, a Melhor Plano tem 25 colaboradores, entre funcionários, estagiários e freelancers. A maioria está ligada ao escritório principal em Belo Horizonte, mas há aqueles que trabalham em São Paulo, Rio de Janeiro e Poços de Caldas, além de colaboradores na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

Pedro Israel acredita que o momento de crise econômica no País gera oportunidade para as pequenas empresas. “De um lado, os consumidores precisam economizar e a nossa plataforma ajuda muito. Do outro estão os nossos parceiros comerciais que precisam otimizar as vendas para cortar custos”, avalia. “A expectativa é dobrar a receita em relação a 2017 e, para 2019, triplicar o faturamento com os novos projetos”, conclui.