Realizada pela Fiemg, Sebrae Minas e Sinduscon-JF, Minascon trata do que há de mais relevante para a indústria da construção, como sustentabilidade, economia e legislação - CRÉDITO: WASHINGTON ALVES/LIGHT PRESS/DIVULGAÇÃO

Com o objetivo de discutir os rumos da cadeia da construção civil em Minas Gerais, as atividades do Minascon acontecem em Juiz de Fora, na Zona da Mata, até hoje. Durante a solenidade de abertura, na última terça-feira (25), os empresários da indústria da construção debateram a competitividade do segmento, além da conjuntura econômica e de tecnologia necessária para alavancar a construção no Estado. Pelo segundo ano consecutivo, o evento é realizado no interior de Minas, sendo que, em 2017, Uberlândia, no Triângulo, foi sede pela primeira vez.

O evento, realizado pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Sebrae Minas e Sindicato da Indústria da Construção Civil de Juiz de Fora (Sinduscon-JF), leva ao empresariado mineiro e a profissionais da área o que há de mais relevante para a indústria da construção, como sustentabilidade, economia, legislação, inovação, tecnologia e tendências do setor.

Na avaliação do presidente da Fiemg, Flávio Roscoe, é necessário que o empresariado tenha voz ativa para ser agente de mudança do atual cenário brasileiro, que, segundo ele, é crítico. “Um evento de união como o Minascon é um excelente momento para um chamado aos empresários. Por isso, conclamo todos a tirar a indignação do sofá da sala e canalizar toda essa energia, conhecimento e esforço para mudar o quadro de nosso País”, ressaltou.

Para o presidente do Sebrae Minas e presidente da Câmara da Indústria da Construção da entidade, Teodomiro Diniz Camargos, a integração e o desenvolvimento da cadeia produtiva para chegar às melhores soluções e oportunidades para o setor é um dos pontos mais importantes do Minascon.

“Quando existe diálogo e aproximação dos agentes, o debate sobre o melhor caminho para o desenvolvimento é facilitado. A cadeia produtiva da construção é muito plural e pulverizada e, por isso, é fundamental criar esses momentos para costurar um caminho para a industrialização, melhoria de processos e de produtividade”, afirmou.

O vice-presidente da Fiemg Regional Zona da Mata e presidente do Sinduscon-JF, Aurélio Marangon, comentou que o evento fomenta a competitividade no local onde é realizado e confirmou a importância da iniciativa para a região. “Temos as melhores expectativas, uma vez que, para o nosso setor, é relevante receber o evento que une toda a cadeia da construção. Além disso, reafirma nosso esforço em prol de um setor mais competitivo e coeso no Estado”, disse.

Já o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), José Carlos Martins, alertou que os investimentos no setor devem ser retomados se o País deseja voltar a crescer e comentou também oito novas filiações de Sinduscons mineiros recebidas pela entidade.

“O fato de a Fiemg e os Sinduscons no Estado se movimentarem em prol do setor da construção demonstra a relevância da união. É certo que daqui em diante bons resultados serão colhidos com o apoio da Cbic”, pontuou.

Leia também:

Sinduscon-MG empossa diretoria em outubro

Competitividade – Na palestra magna na abertura do Minascon, o professor da Universidade Federal de São Carlos e na Escola Politécnica da USP Luiz Henrique Ceotto abordou temas como o atual quadro comparativo da construção com outros setores industriais brasileiros.

Além disso, Ceotto levantou reflexões sobre como a inovação, tecnologia, mudanças no ambiente de negócios brasileiro e a urgente formação de líderes no setor podem influenciar positivamente a competitividade da construção.

“Erroneamente, pensamos que nosso País não possui tecnologia de ponta na construção e não está inserido no contexto da inovação ou indústria 4.0, por exemplo. O problema é justamente oposto, temos acesso a essas tecnologias, mas não estamos culturalmente preparados para usufruir de todas elas da melhor forma”, apontou Ceotto.