Projetado no formato do símbolo do infinito, futuro centro comercial deve ser erguido em terreno avaliado em R$ 25 milhões, com obra de R$ 12 milhões - Divulgação

O projeto de um novo e moderno centro comercial em Montes Claros acaba de ser apresentado pela prefeitura do município do Norte de Minas. O empreendimento, localizado na Praça dos Jatobás, que faz parte do Parque Guimarães Rosa, no bairro Morada do Sol, terá área total de 20 mil quadrados, com espaço coberto de 6.468 metros quadrados. Ao todo, serão 120 lojas, de 32 metros quadrados cada uma.

De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Montes Claros e idealizador da proposta, Paulo Ribeiro, o objetivo é valorizar os produtos regionais, fazendo do lugar também um ponto de encontro dos turistas.

A construção e a administração serão realizadas por meio de uma parceria público-privada (PPP). O terreno tem valor aproximado de R$ 25 milhões e a obra está orçada em R$ 12 milhões, o que totaliza um investimento de R$ 37 milhões. “Montes Claros tem muitas áreas públicas ociosas e essa é uma ideia para gerar emprego e renda para a população.

Será a primeira PPP do município e o objetivo é que o ganhador da concorrência construa e administre o centro comercial por 30 anos. Os primeiros interessados – inclusive de fora da cidade – já procuraram a prefeitura em busca de detalhes”, revela Ribeiro.

Segmentos obrigatórios – A expectativa é que o edital seja publicado em janeiro de 2019 e, depois do parceiro decidido, a inauguração do empreendimento se dê em um ano e meio. Os critérios para ocupação das lojas serão definidos pelo administrador, porém a prefeitura vai se reservar o direito de estabelecer segmentos obrigatórios como cachaçaria, lojas de games, frutaria, temperos, floricultura, botecos, queijaria, tabacaria, galeria de arte, produtos fitoterápicos, terminal bancário, sorveteria, hortifrutigranjeiros, selaria, doceria, artesanato, restaurante, cervejaria artesanal, cafeteria, lanchonetes e butiques de carne.

O espaço também deve ter um espelho d’água de aproximadamente três mil metros quadrados e um estacionamento para 200 carros. A estrutura foi batizada como Nonada (primeira palavra do livro “Grande sertão: veredas”), em homenagem ao escritor Guimarães Rosa, e terá o formato do símbolo do infinito, representando a eternidade e o potencial divino.

“Queremos que funcione como um ‘mercado modelo’, valorizando os produtos regionais, e tenha uma administração de shopping. O centro de compras não será um shopping popular. Ele vai ficar em uma área muito nobre da cidade, com potencial para ser frequentado pela população e pelos turistas. Vamos incentivar também a criação de um espaço museológico dentro do centro comercial. Estimamos que sejam criados cerca de mil empregos diretos”, pontua o secretário de Meio Ambiente de Montes Claros.