Lançamentos da MRV aumentaram 20% no 3º trimestre - CRÉDITO: DIVULGAÇÃO

Com recorde de receita líquida para o terceiro trimestre, a MRV Engenharia e Participações S/A alcançou a marca dos R$ 1,35 bilhão no período em 2018. O lucro líquido da companhia foi de R$ 174 milhões no terceiro trimestre desse ano, resultado 4,8% maior do que apurado no trimestre anterior. Outro destaque do balanço do desempenho financeiro divulgado ontem foi a forte geração de caixa, de R$ 242 milhões.

O diretor executivo de finanças e relações com investidores da MRV, Leonardo Corrêa, associa os resultados positivos às vendas crescentes. “Estamos em um ritmo forte tanto de vendas como de construção e isso trouxe um recorde de receita. A geração de caixa no período também foi muito positiva, produto de vendas mais fortes e assinaturas com bancos”, afirmou.

Durante o terceiro trimestre de 2018 houve aumento também no volume de unidades lançadas, que foi 20% superior ao registrado no mesmo período do ano anterior. Para os lançamentos previstos para o próximo trimestre, a companhia já possui 81% dos alvarás necessários para atingir o objetivo de 50 mil unidades no ano.

“O aumento dos lançamentos está associado à nossa meta de lançar um grande volume para atender a demanda de um mercado pujante”, explicou Corrêa.

Apesar de atingir 30.508 unidades vendidas nos primeiros nove meses do ano, um aumento de 6,3% em relação ao mesmo período anterior, no terceiro trimestre a MRV registrou queda de 6% no volume de unidades vendidas. Consequentemente, a empresa deixou de reconhecer no período um Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 115 milhões a mais em vendas quando comparado ao segundo trimestre do mesmo ano.

“Depois da greve dos caminhoneiros a confiança do consumidor caiu um pouco e isso levou um tempo para se recompor, afetando as vendas do terceiro trimestre”, justificou o diretor executivo.

Endividamento – O endividamento total da MRV em 30 de setembro de 2018 era de R$ 3,288 bilhões. Em julho deste ano houve a liquidação da 12ª emissão de debêntures simples no valor total de R$ 542,2 milhões.

Desde 2013 com resultados consistentes de lucro líquido e geração de caixa, a construtora tem conseguido aumentar a distribuição de dividendos e recompra de ações. Leonardo Corrêa ressaltou ainda que a plataforma habitacional flexível, planejada para se adequar a diferentes condições de mercado e disponibilidade de recursos para financiamento, é uma contribuição estratégica na tentativa de reduzir a dívida.

“A geração de caixa tem trazido o endividamento para baixo e o objetivo é ter um volume mais baixo de dívidas. O mais importante é ter nossa plataforma de negócios para poder atender tanto o “Minha casa, minha vida” quanto apartamentos com uma faixa de preços um pouco mais alta e ter uma oferta grande nas cidades em que atuamos”, disse.

Cisão parcial – Anunciada no final de outubro, a reorganização societária dos ativos da MRV a partir da cisão da Log Commercial Properties, está seguindo o cronograma planejado.
Segundo Corrêa, no próximo mês acontece uma reunião do conselho da construtora que vai deliberar e, em seguida, será convocada uma assembleia de acionistas da companhia para aprovar a cisão. A previsão para que as ações da Log comecem a ser negociadas na bolsa continua sendo para o dia 18 de dezembro.

A Operação Societária busca trazer maior eficiência operacional, assim como maior clareza das atividades realizadas pela MRV e pela Log, facilitando a identificação do potencial valor gerado para os acionistas por estas operações e destravando valor para acionistas da MRV via entrega de ações da Log.