A Páscoa é considerada uma das principais datas para incremento de vendas do varejo alimentício. E, segundo pesquisa da Fecomércio MG, quase a metade – 49,9% – dos empresários desse ramo em Minas considera que a data gera resultado positivo para o negócio.

O otimismo é maior no Sul de Minas, com 61,5%. Em seguida estão Região Central (52,6%); Rio Doce (52,6%); Noroeste (50%); Triângulo (50%); Centro-Oeste (48,6%); Norte (44,7%); Alto Paranaíba (39,5%); Jequitinhonha-Mucuri (36,8%); Zona da Mata (34,2%).

Entre os segmentos mais beneficiados estão os de produtos de padaria, laticínio, doces, balas e semelhantes (59,3%); bebidas (56,8%); hortifrutigranjeiros (52,6%).

Este ano, 72,1% dos comerciantes esperam vender mais (36,9%) ou o mesmo tanto (35,2%) que no ano passado. Já 27,8% estão aguardando resultados piores. Em 2018, o percentual dos que esperavam resultados maiores ou iguais em relação ao período anterior era 76%.

Entre os que aguardam resultados melhores, os motivos apontados foram otimismo/esperança (35,4%); reação do comércio/economia melhor (16,9%); mudança do governo (9,2%). Já os motivos apontados por aqueles que aguardam retração estão crise econômica (32,7%); falta de dinheiro/desemprego (28,6%) e comércio fraco (10,2%).

As ações adotadas para melhorar os resultados no período estão promoções e liquidações (35,3%); divulgação (20%); visibilidade da loja (8,4%). A contratação dos temporários será feita apenas por 2,6% das empresas. (AAH)